La Nina

La Ninã deverá reaparecer ainda este ano, mas temperaturas continuarão altas
BR

Organização Meteorológica Mundial prevê aumento das secas em algumas regiões e maior risco de enchentes em outras áreas; fenômeno cria clima mais ameno, mas ainda assim, temperaturas entre setembro e novembro serão acima da média no Hemisfério Norte.  

Agência lembra que La Niña 2020-2021 terminou, mas temperaturas seguem altas 
BR

Organização Meteorológica Mundial afirma que níveis devem ficar acima da média entre junho e agosto, especialmente no Hemisfério Norte; concentrações de dióxido de carbono permanecem recordes impulsionando aquecimento global.  

Temperaturas globais devem ficar acima do normal entre fevereiro e abril 
BR

Evento La Niña ultrapassou seu pico, mas impactos nas temperaturas, precipitação e padrões de tempestade continuam; fenômeno tem um efeito de resfriamento global temporário, mas não foi suficiente para evitar que 2020 fosse um dos três anos mais quentes já registrados. 

Projeções indicam piora e agências da ONU preparam enfrentamento ao La Niña
BR

Fenômeno climático deve afetar temperaturas, chuvas e tempestade até 2021; Estados Unidos dizem que efeitos podem durar até março; Organização Metereológica Mundial, OMM, aborda mitigação em regiões incluindo Pacífico, Sudeste Asiático e África Oriental.

La Niña entra em ação e deve perdurar até 2021, segundo agência da ONU 
BR

Fenômeno meteorológico deve ter intensidade moderada a forte alterando temperaturas e precipitação em muitas partes do mundo; ONU e parceiros esperam consequências para agricultura, saúde, recursos hídricos e gestão de desastres.

Previsões de Meteorologia apontam para um possível fenômeno La Niña este ano 
BR

Agência da ONU diz que ocorrência deve ser marcada por temperaturas acima da média entre setembro e novembro; último La Niña teve intensidade variando entre fraca a moderada em 2007 e 2008; 2020 pode se tornar um dos anos mais quentes da história. 

Estação de furacões este ano, no Atlântico, poderá ser “acima do normal”
BR

Organização Meteorológica Mundial, OMM, diz que previsão é do Serviço Nacional de Temperatura, dos Estados Unidos, e tem 60% de chance de se realizar contra 30% de uma estação “próxima ao normal” e 10% de probabilidade “abaixo do normal”; época de furacões será de 1 de junho a 30 de novembro.

Entrevista: FAO e combate à fome na Cplp e no mundo
BR

Ainda temos cerca de 800 milhões de pessoas que vão dormir com fome