José Graziano da Silva

Chefe da FAO diz que 20 milhões podem morrer de fome na África
BR

José Graziano da Silva afirmou que se nada for feito, isso pode acontecer nos próximos seis meses no Iêmen, na Nigéria, na Somália e Sudão do Sul; declaração foi feita na abertura da sessão do Conselho da agência da ONU.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

Áudio -

108 milhões no mundo sofrem de insegurança alimentar severa
BR

108 milhões no mundo sofrem de insegurança alimentar severa
BR

Alerta é da FAO; em período de um ano, 28 milhões a mais de pessoas passaram a enfrentar condição; diretor da agência explica que conflitos e desastres naturais tornam a situação “explosiva”.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Áudio -

Ex-governador norte-americano nomeado diretor-executivo do PMA
BR

David Beasley, que governou a Carolina do Sul de 1995 a 1999, substituirá Ertharin Cousin; nomeação foi feita pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, e pelo chefe da Agência para Agricultura e Alimentação, FAO.

Áudio -

Ex-governador norte-americano nomeado diretor-executivo do PMA
BR

David Beasley, que governou a Carolina do Sul de 1995 a 1999, substituirá Ertharin Cousin; nomeação foi feita pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, e pelo chefe da Agência para Agricultura e Alimentação, FAO.

Relatório da FAO considera urbanização catalisador de áreas rurais

Agência da ONU mostra “revolução silenciosa” para melhorar cadeia de valores e papéis vibrantes para pequenas cidades.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.*

Áudio -

Relatório da FAO considera urbanização catalisador de áreas rurais

Igualdade de gênero é “fundamental” no combate à fome e pobreza
BR

Igualdade de gênero é “fundamental” no combate à fome e pobreza
BR

Avaliação é do chefe da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva; mulheres representam 45% da força de trabalho agrícola em países em desenvolvimento, chegando a 60% em partes da África e Ásia.

Áudio -

FAO e Vaticano condenam pesca ilegal e pedem ação coletiva
BR