investimento estrangeiro direto

Investimento estrangeiro direto na América Latina e no Caribe aumentou 13,2% em 2018
BR

Índice reverte tendência de queda dos últimos cinco anos; maior parte do crescimento é explicada pelos maiores investimentos no Brasil, com US$ 88,3 bilhões, e no México, com US$ 36,9 bilhões.

Cepal: Brasil liderou investimento estrangeiro direto em 2016
BR

Relatório da Cepal diz que apesar da recessão, país obteve 47% do total de pouco mais de US$ 167 bilhões; México ficou em segundo lugar, seguido por Colômbia e Chile.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

Áudio -

Cepal: Brasil liderou investimento estrangeiro direto em 2016
BR

Investimento estrangeiro direto deve cair entre 10% e 15% este ano
BR

Estimativa é da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad; cálculos são em comparação a 2015.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Investimento estrangeiro direto deve cair entre 10% e 15% este ano
BR

Entrevista: Antonio Prado, Cepal

O secretário-executivo adjunto da Comissão Econômica para América Latina e Caribe, Cepal, falou à Rádio ONU sobre o relatório de investimento estrangeiro direito, IED, na região, divulgado esta quarta-feira pelo órgão.

Áudio -

Entrevista: Antonio Prado, Cepal

Investimento estrangeiro direto para o Brasil caiu 23% no ano passado
BR

País recebeu US$ 75 bilhões e continuou como o principal receptor desses fluxos na região; tendência de queda foi registrada na América Latina e Caribe como um todo, onde redução do IED foi de 9,1%.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Investimento estrangeiro direto para o Brasil caiu 23% no ano passado
BR

Fluxo de investimento estrangeiro direto em África foi estável em 2014

Continente recebeu US$ 54 mil milhões segundo estudo da Unctad, tendo sido menor em alguns países que passam por conflitos; Moçambique foi o terceiro país africano que mais recebeu investimento externo: US$ 4,9 mil milhões.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

Áudio -