grupos armados

Moçambique: famílias separadas pela violência precisam de ajuda urgente

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, disse que o número de pessoas deslocadas pelos recentes ataques no norte de Moçambique continua a aumentar. Desde 24 de março, mais de 19 mil pessoas fugiram de Palma para as cidades de Nangade, Mueda, Montepuez e Pemba. Quase 700 mil pessoas, principalmente mulheres, crianças e idosos, estão deslocadas internamente no norte de Moçambique, como resultado de ataques e violência recorrentes por grupos armados não estatais desde outubro de 2017.

Moçambique: Acnur preocupado com deslocados internos na província de Cabo Delgado
BR

Perto de 700 mil pessoas já fugiram da violência; números continuam aumentando como resultado da crescente insegurança; representantes da agência visitaram província na semana passada.

Leste da RD Congo tem recorde de mortes em atrocidades de grupos armados 
BR

Acnur realça atos cometidos em três províncias orientais em 2020; agência crê que ação armada faz parte de “padrão sistemático para agitar a vida de civis, provocar medo e criar confusão”; Kivu do Norte continua com assassinatos e sequestros cometidos por diferentes grupos neste ano. 

Violência em Cabo Delgado, Moçambique, já afetou 250 mil crianças 
BR

Crianças da área de Moçambique viveram atos de violência extrema, incluindo morte de parentes próximos e sequestros brutais; um quinto delas sofre desnutrição aguda; casos mais graves têm sido detectados entre população deslocada. 

Vítimas de deslocamento aumentam em Cabo Delgado

Responsável de Relações Exteriores da Acnur em Moçambique, Juliana Ghazi revela que inúmeros ataques levaram mais pessoas a abandonarem as áreas de origem em Cabo Delgado, no extremo norte. Projeções apontam para o aumento de deslocados nos próximos meses.

Cabo Delgado: “comunidade internacional precisa compreender urgência”

Enviado pessoal do secretário-geral para Moçambique diz à ONU News que “diplomacia preventiva” pode impedir escalada da violência na província do norte do país africano; Mirko Manzoni defende apoio para solução sustentável do combate ao terrorismo que se tornou “problema regional”.

Acidentes com minas terrestres seguem matando e ferindo milhares de pessoas
BR

Ações de desminagem foram reduzidas por causa da Covid-19; Monitor 2020 revela que mais de 80% do mundo ou 164 países adotaram Tratado de Proibição de Minas; uso por grupos armados não-estatais preocupa especialistas.

Michelle Bachelet alerta para “situação alarmante” no norte de Moçambique 
BR

Alta comissária da ONU para os Direitos Humanos destaca violência que causou mais de 350 mil deslocados em três anos; insegurança piorou nas últimas semanas, com relatos de dezenas de decapitações e sequestros no extremo norte.

Acnur: Nigéria recebe quase 60 mil camaroneses fugindo da violência
BR

Nas últimas duas semanas, quase 8 mil pessoas saíram dos Camarões e foram para os estados de Taraba e Cross Rivers, no leste e sul da Nigéria; segundo agências de notícias, pelo menos 22 pessoas morreram num ataque no noroeste do país.

Mais de 80% das escolas fecharam devido à crise em Camarões

Segundo Unicef, cerca de 600 mil crianças estão sem acesso à educação; milhares de pessoas carecem de serviços básicos como saúde e água potável; meios de subsistência foram destruídos por causa da violência armada.