Djibuti

Iémen vive “crises absolutas imediatas” na nutrição e serviços saúde

Chefe Humanitário da ONU pede que tudo seja feito para proteger vítimas civis do conflito; Stephen O’Brien  terminou na Arábia Saudita a digressão que incluiu o Djibuti e o Iémen.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

O subsecretário-geral das Nações Unidas para Assistência Humanitária disse que desequilíbrios na malnutrição e nos serviços de saúde formam as “duas crises absolutas imediatas” que devem ser respondidas no Iémen.

Enviados internacionais percorrem rota de migrantes africanos para o Iémen

Etíopes compõem a maioria dos mais de 500 óbitos anuais; Djibuti regista cerca de 180 mil migrantes irregulares por ano; pelo menos 60 mil cidadãos da Etiópia passaram pelo país vizinho em 2015.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Diplomatas europeus, asiáticos e norte-americanos visitam esta semana a Etiópia em iniciativa para aumentar a consciência sobre a emergência migratória que liga o Corno de África, o conflito no Iémen e os efeitos do fenómeno El Niño no país.