Direitos Humanos

Condenado uso de armamento pesado na Líbia

Em comunicado, alta comissária de Direitos Humanos da ONU indica que ataques a civis em Misrata podem ser crimes internacionais.

Ataques a civis em Misrata podem ser crimes internacionais
BR

Afirmação foi feita pela alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, em comunicado, divulgado nesta quarta-feira, sobre o conflito na Líbia.

Especialista da ONU aponta desafios dos jornalistas na Argélia

De acordo com relator especial, profissionais de informação encaram obstáculos legais para exercer o seu ofício; mais de 100 jornalistas argelinos foram mortos nos anos 90.

ONU preocupada com morte de 34 em acampamento no Iraque (Português Brasil)

Segundo Missão no país, Unami, local abriga exilados iranianos; alta comissária de Direitos Humanos disse que ‘não existe nenhuma desculpa cabível para tantas mortes’.

OIM preocupada com situação de 6 mil migrantes em Misrata
BR

Grupo não tem como sair da cidade portuária na Líbia; agência enviou um navio com ajuda humanitária, mas diz que não tem recursos para resgatar todos.

Evento no Rio lembra 17 anos do genocídio de Ruanda

Estudantes e acadêmicos abordam lições dos assassinatos em massa ocorrido em 1994 no país africano; mais de 800 mil pessoas morreram.

ONU pede que marfinenses evitem represálias
BR

Em comunicado, alta comissária de Direitos Humanos diz que atitude é vital para processo de reconciliação nacional depois dos conflitos pós-eleitorais.

ONU pede que se evitem represálias na Côte d’Ivoire (Português África)

Alto Comissariado para os Direitos Humanos realça importância da prestação de contas e do Estado de Direito para a reconciliação nacional.

Situação na Líbia será tema de encontro da ONU nesta terça-feira (Português Brasil)

Encontro do Grupo de Contato para o país africano será realizado no Catar; na quinta-feira, Ban Ki-moon viaja para o Egito, onde debaterá Oriente Médio.

Relator frustrado com falta de acesso a soldado dos EUA (Português Brasil)

Bradley Manning foi preso após ter sido acusado de passar informações secretas ao site WikiLeaks; segundo relator especial sobre tortura, governo americano não autorizou visita ao militar.