Dia Mundial dos Refugiados

Unicef diz que 30 milhões de crianças deslocadas por conflitos precisam de proteção

Número de crianças forçadas a sair de suas casas e sem acompanhamento de adultos aumentou quase cinco vezes em cinco anos; na véspera do Dia Mundial do Refugiado, a agência da ONU lançou uma campanha dirigida aos fãs de futebol.

Sudão do Sul: mais de mil crianças fogem por dia em busca de segurança

Uganda é atualmente o país africano que mais abriga refugiados; números mais do que dobraram no último ano.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Áudio -

Sudão do Sul: mais de mil crianças fogem por dia em busca de segurança

Enviada da ONU, Angelina Jolie, tem reunião com EUA sobre refugiados
BR

Embaixadora da Boa Vontade e enviada especial da Agência da ONU para o tema, Acnur, atriz marcou o Dia Mundial dos Refugiados em reunião com o secretário de Estado americano, John Kerry, em Washington.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Enviada da ONU, Angelina Jolie, tem reunião com EUA sobre refugiados
BR

Número de deslocados atinge recorde de mais de 65 milhões em todo o mundo

Cerca de metade é proveniente de países como Síria, Afeganistão e Somália;  angolanos lideram número de refugiados de países de língua portuguesa espalhados pelo mundo; Moçambique entre as nações de origem de novos deslocados.

Áudio -

Número de deslocados atinge recorde de mais de 65 milhões em todo o mundo

Entrevista: Uma nova vida para uma família síria em Portugal

Sem conseguir vender a casa onde moraram seus avós, a professora de biologia Andrea Duarte, moradora de Braga, decidiu que o local poderia ser um novo lar para os que mais precisam.

Áudio -

Entrevista: Uma nova vida para uma família síria em Portugal

No Dia Mundial dos Refugiados, ONU pede ‘fronteiras abertas’
BR

Apelo foi feito pelo alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, em entrevista à Rádio ONU; mundo tem 43,7 milhões de deslocados sendo 15,4 milhões refugiados; 80% do total são acolhidos por países pobres.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Áudio -