Dia Mundial da Justiça Social

Dia Mundial da Justiça Social, Covid-19 impacta soropositivos na China e mensagem da jogadora Marta

Neste #DestaqueONUNews, Dia Mundial da Justiça Social foca no fim das desigualdades; Covid-19 pode ameaçar tratamento de pessoas com HIV na China; e para encerrar, jogadora Marta leva Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ao Carnaval do Rio de Janeiro.

Dia Mundial da Justiça Social foca no fim das desigualdades
BR

Um em cada cinco trabalhadores, no mundo, vive em pobreza moderada ou extrema; campanha da Organização Internacional do Trabalho lança pesquisa popular sobre futuro do trabalho que prioriza pessoas e planeta.

Dia Mundial da Justiça Social lembra 150 milhões de trabalhadores migrantes

Data é celebrada neste 20 de fevereiro; diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho, OIT, lembra os desafios enfrentados pelos migrantes.

OIT diz que mundo enfrenta uma profunda crise de justiça social
BR

Diretor-geral da agência fez a declaração para marcar o Dia Mundial da Justiça Social; Guy Ryder pediu aos legisladores que trabalhem por uma verdadeira recuperação socioeconômica global.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

OIT diz que mundo enfrenta uma profunda crise de justiça social
BR

Entrevista: Dia Mundial da Justiça Social

O representante da Organização Mundial do Trabalho, OIT, junto das Nações Unidas lança uma reflexão sobre o crescimento inclusivo e a proteção social.

Áudio -

Entrevista: Dia Mundial da Justiça Social

Ban diz que diferença entre pobres e ricos aumenta no mundo inteiro
BR

Secretário-Geral fez a declaração para marcar o Dia Mundial da Justiça Social este 20 de fevereiro; ele afirmou que a data serve para mostrar o poder da solidariedade global para a criação de novas oportunidades para todos. 

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Ban diz que diferença entre pobres e ricos aumenta no mundo inteiro
BR

Secretário-Geral da ONU afirmou que desigualdade mina o progresso
BR

Ban Ki-moon afirmou que os problemas são visíveis com baixos salários para mulheres e jovens; ele citou também acesso limitado a educação, saúde e bons empregos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

Áudio -