desastres naturais

OMS: abordar emergências prolongadas é necessário para alcançar ODS

Impunidade e crise eleitoral são problemas de direitos humanos no Haiti
BR

Afirmação é do especialista independente da ONU sobre a situação no país; Gustavo Gallón apresenta seu relatório em Genebra e cita ainda analfabetismo, detenções arbitrárias e situação das vítimas de desastres naturais.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Impunidade e crise eleitoral são problemas de direitos humanos no Haiti
BR

Ásia-Pacífico continua sendo a região mais propensa a desastres naturais
BR

Novo relatório das Nações Unidas afirma que 59 milhões de pessoas foram afetadas em 2015 e 16 mil morreram; maiores impactos foram no sul da Ásia, com 14 mil mortes, a maioria devido ao terremoto que atingiu o Nepal.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

Áudio -

Ásia-Pacífico continua sendo a região mais propensa a desastres naturais
BR

Desastres naturais afetaram 100 milhões de pessoas no mundo em 2015
BR

Relatório divulgado pelo escritório para Redução do Risco de Desastres, alertou que 22,7  mil pessoas morreram devido a terremotos, furacões, enchentes, entre outros; O prejuízo econômico dessas tragédias chegou a US$ 66,5 bilhões.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

Desastres naturais afetaram 100 milhões de pessoas no mundo em 2015
BR

Desastres mataram mais de 22,7 mil no ano mais quente de que há registo

Estudo revela que 2015 teve do mais do que o dobro das secas intensas face à média das últimas duas décadas; China e Estados Unidos lideram nações com o maior número de desastres; África com muitas vítimas do fenómeno El Niño.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Áudio -

Desastres mataram mais de 22,7 mil no ano mais quente de que há registo

Líbia com um por cento dos fundos para apoiar necessitados

Dois doadores contribuíram para plano de US$ 166 milhões lançado em dezembro; chefe humanitário pede apoio para esforços para sair da crise e defende mais financiamento dos países.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

Áudio -