crescimento econômico

Banco Mundial: economia global precisa crescer mais para que se reduza a pobreza
BR

Novo relatório analisa riscos para economias globais e traz novas expectativas de crescimento para o Brasil e outros países neste ano.*

Banco Mundial prevê baixa ligeira de crescimento da economia global para 2,9%

Abrandamento do comércio internacional e da atividade manufatureira pressionam economia; exportação de matérias-primas estagnou; crescimento per capita será insuficiente para reduzir diferença entre economias desenvolvidas e emergentes.

Banco Mundial: crescimento económico no Quénia deve cair em 2017

Banco Mundial: crescimento económico no Quénia deve cair em 2017

Avanço deve desacelerar para 5,5%, meio ponto percentual abaixo da projeção de 2016; órgão cita fatores como seca atual e desaceleração no crescimento de crédito para o setor privado.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Áudio -

PIB do Brasil deve crescer 0,4% em 2017, prevê Cepal
BR

PIB do Brasil deve crescer 0,4% em 2017, prevê Cepal
BR

Em meio a incertezas sobre a economia mundial, América Latina e Caribe retomará um leve crescimento no próximo ano, de 1,3%;  República Dominicana terá o melhor desempenho da região.

Leda Letra, da ONU News em Nova York. 

Áudio -

Entrevista: Carlos Lopes (1ª. Parte)

Entrevista: Carlos Lopes (1ª. Parte)

Secretário-executivo da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África, Uneca, fala à Rádio ONU sobre a economia da região, oportunidades e Cooperação Sul-Sul.

Segundo Carlos Lopes, apesar de enfrentar um dos anos mais difíceis desde 2000, a economia africana está avançando.

Áudio -

“Comércio contribuiu diretamente para baixar a pobreza pela metade”
BR

Afirmação foi feita pelo diretor-geral da Organização Mundial do Comércio em entrevista à Rádio ONU; Roberto Azevêdo disse que o comércio internacional é ingrediente indispensável em qualquer plano de crescimento econômico.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Áudio -

“Comércio contribuiu diretamente para baixar a pobreza pela metade”
BR