Angola

Guterres faz apelo à ação global na 43ª sessão do Conselho de Direitos Humanos
BR

Secretário-geral deve falar sobre situação atual de direitos humanos no mundo e propõe de proteção; ligação entre direitos humanos e prioridades da ONU também é tema da sessão anual, que começa nesta segunda-feira.

Guterres discursa em Sessão Anual do Comitê Especial de Descolonização
BR

Secretário-geral citou a experiência de seu país de origem, Portugal, ao falar de movimentos de libertação em Angola, Guiné-Bissau e Moçambique; Comitê lida com casos de pelo menos 17 territórios.

Bem-estar de crianças e adolescentes sob ameaça em todo o mundo, alerta estudo
BR

Dos países lusófonos, Portugal é o melhor posicionado em índice de sobrevivência e bem-estar, mas ocupa último lugar em nível de emissores de CO2 por pessoa; já Brasil é destacado por fortalecer sistema de informações de saúde; novo estudo adverte para excessos de emissões de carbono em economias mais ricas.

Chefe da ONU diz esperar, com serenidade, conclusão do processo eleitoral na Guiné-Bissau após votação de dezembro
BR

António Guterres respondeu a jornalista durante entrevista coletiva em Adis Abeba, onde participa do Encontro de Cúpula da União Africana; após Comissão Eleitoral do país lusófono ter declarado vencedor, Umaro Sissoco Embaló, Supremo Tribunal do país pediu que resultado fosse reexaminado antes de uma declaração final; chefe da ONU também elogiou esforços de Angola na mediação política dos Grandes Lagos; logo depois, ele participou de apresentação de livro sobre mulheres defensoras da paz.

Angola entre 10 países africanos doadores de recursos contra praga de gafanhotos
BR

País de língua portuguesa também preside iniciativa de US$ 1 milhão; FAO destaca que é preciso agir agora; nuvens de insetos já ameaçam Sudão do Sul, Uganda, Eritreia, Arábia Saudita, Sudão e Iêmen.

Após deixar Angola, milhares de repatriados da RD Congo precisam de investimentos
BR

Acnur quer mais apoio para operação de repatriamento que termina em março; mais da metade dos 37 mil refugiados congoleses que fugiram da violência na região congolesa de Kassai devem ser beneficiados pela iniciativa.