Perspectiva Global Reportagens Humanas

OMS pré-qualifica primeiro autoteste para o vírus da hepatite C

No Chile, novos tratamentos para hepatite significam que cerca de 98 por cento dos pacientes recuperam completamente
Opas
No Chile, novos tratamentos para hepatite significam que cerca de 98 por cento dos pacientes recuperam completamente

OMS pré-qualifica primeiro autoteste para o vírus da hepatite C

Saúde

Inovação foi projetada especificamente para uso por usuários leigos; recomendação foi baseada em evidências que demonstram a capacidade da tecnologia de aumentar o acesso e a aceitação de serviços; todos os dias 3,5 mil vidas são perdidas para as hepatites virais.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, pré-qualificou o primeiro autoteste do vírus da hepatite C.

O anúncio, feito nesta quarta-feira, ressalta que a inovação pode fornecer um apoio crítico na expansão do acesso a testes e diagnósticos, acelerando os esforços globais para eliminar a doença.

Melhora do acesso e aceitação

O produto, chamado de autoteste OraQuick HCV, fabricado pela OraSure Technologies, é uma extensão de um outro produto pré-qualificado pela OMS em 2017 para uso profissional.

A versão de autoteste, projetada especificamente para uso por usuários leigos, fornece aos indivíduos um único kit contendo os componentes necessários para realizar a testagem.

A OMS recomendou o autoteste de hepatite C em 2021, para complementar os serviços já existentes nos países. A recomendação foi baseada em evidências que demonstram a capacidade da tecnologia de aumentar o acesso e a aceitação de serviços, particularmente entre pessoas que podem não fazer o teste.

Projetos de implementação da nova ferramenta em nível nacional, apoiados pela agência de saúde Unitaid têm mostrado altos níveis de aceitabilidade e viabilidade, bem como empoderamento das pessoas por meio de escolha pessoal, autonomia e acesso a serviços de autocuidado livres de estigma.

Expansão de serviços

A diretora do Departamento de Programas Globais de HIV, Hepatite e DST da OMS, Meg Doherty, afirmou que das 50 milhões de pessoas que vivem com hepatite C, “apenas 36% foram diagnosticadas e 20% receberam tratamento curativo até o final de 2022".

Para ela, "a adição deste produto à lista de pré-qualificação da OMS fornece uma maneira segura e eficaz de expandir os serviços de teste e tratamento do HCV, garantindo que mais pessoas recebam os diagnósticos e o tratamento de que precisam”.

Segundo dados da OMS, todos os dias 3,5 mil vidas são perdidas para as hepatites virais.

Meta de 90%

O programa de pré-qualificação da OMS para diagnósticos in vitro avalia uma série de testes, incluindo aqueles usados para a detecção de anticorpos contra o vírus da hepatite C. O programa analisa os produtos de acordo com padrões de qualidade, segurança e desempenho.

O diretor do Departamento de Regulação e Pré-qualificação da OMS, Rogério Gaspar, afirmou que a disponibilidade de um autoteste de pré-qualificado “permite que os países de baixa e média renda tenham acesso a opções de autoteste seguras e acessíveis”.

Segundo ele, isso é essencial para atingir a meta de 90% de todas as pessoas com a doença sendo diagnosticadas. 

A OMS continuará avaliando autotestes adicionais de HCV, apoiar a implementação baseada em evidências e trabalhar com as comunidades para expandir as opções disponíveis para todos os países.