Perspectiva Global Reportagens Humanas

Recuperação da camada de ozônio é exemplo para solução de desafios ambientais

Um esforço global unido para eliminar gradualmente as substâncias que destroem a camada de ozônio significa que, hoje, o buraco na camada de ozônio está cicatrizando.
WMO/Chunseong Bang
Um esforço global unido para eliminar gradualmente as substâncias que destroem a camada de ozônio significa que, hoje, o buraco na camada de ozônio está cicatrizando.

Recuperação da camada de ozônio é exemplo para solução de desafios ambientais

Clima e Meio Ambiente

Avaliação é da Organização Meteorológica Mundial, OMM; agência lança relatório com dados de monitoramento e aponta que mudança climática pode atrasar avanços; “buraco” na camada de ozônio causa exposição à radiação ultravioleta, prejudicial à saúde humana e ambiental.

A Organização Meteorológica Mundial, OMM, alerta que os ganhos na recuperação da camada de ozônio podem ser atrasados pela mudança climática.  

 

Em relatório publicado nesta quinta-feira, a agência aponta que o progresso alcançado com o Protocolo de Montreal pode servir de exemplo para solucionar outros desafios ambientais globais. 

 

Acompanhamento dos dados 

 

O Protocolo eliminou em até 99% a produção e o consumo de substâncias que destroem a camada de ozônio, 

 

A publicação da OMM é a primeira com dados sobre o ozônio estratosférico e radiação ultravioleta, substituindo boletins anteriores da situação na Antártida e no Ártico, publicados, pela última vez, há sete anos e com foco técnico. 

 

Encontrada no alto da atmosfera, a camada de ozônio protege a Terra da maioria dos raios ultravioletas nocivos do sol.
Unsplash/Jason Leung
Encontrada no alto da atmosfera, a camada de ozônio protege a Terra da maioria dos raios ultravioletas nocivos do sol.

O texto destaca a importância de medições contínuas de alta qualidade para garantir que mudanças de longo prazo na camada de ozônio sejam bem medidas e suas causas sejam compreendidas. 

 

Segundo a OMM, a camada de ozônio segue se recuperando lentamente. A expectativa é que nas próximas décadas ela seja totalmente restabelecida. 

 

Em 2022, o monitoramento apresenta colunas de ozônio mais altas nos trópicos e subtrópicos. As colunas são menores em latitudes mais altas, particularmente no Hemisfério Sul.  

 

A camada de ozônio protege a Terra da radiação ultravioleta solar prejudicial.  As observações do ozônio são críticas para resguardar a saúde humana e ambiental. 

 

Camada de ozônio antártico 

 

Em 2022, o buraco na camada de ozônio na Antártida teve um início relativamente tardio e uma extensão e profundidade relativamente grandes em outubro e novembro.  

 

A camada de ozônio, um fino escudo de gás, é vista do espaço.
© NASA
A camada de ozônio, um fino escudo de gás, é vista do espaço.

A OMM explica que o atraso e a diminuição dos Déficits de Massa de Ozônio, no início de setembro, são considerados evidências importantes de que a camada está começando a se recuperar.  

 

A agência da ONU aponta que a erupção vulcânica Hunga Tonga, em janeiro de 2022, foi a maior dos últimos 100 anos, injetando gelo e vapor de água na estratosfera.  

 

Vapor de água e aerossol aumentados nos vórtices polares são esperados para os próximos invernos, o que pode resultar em mais nuvens estratosféricas polares, maior destruição de ozônio, e “buracos de ozônio” maiores e mais duradouros.