Perspectiva Global Reportagens Humanas

OIT: Brasil assume compromisso com promoção do trabalho decente

 Banco Mundial aprova programa de revitalização de Porto Alegre
Pedro Piegas
Banco Mundial aprova programa de revitalização de Porto Alegre

OIT: Brasil assume compromisso com promoção do trabalho decente

Desenvolvimento econômico

Por meio de Programa de Cooperação Sul-Sul para o período de 2023 a 2027 o país oferecerá apoio para nações da América Latina, África e Ásia-Pacífico; iniciativa reforça criação de Coalizão Global pela Justiça Social.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, em parceria com o Brasil, anunciou o Programa de Cooperação Sul-Sul para o período de 2023 a 2027.A iniciativa tem como objetivo apoiar a promoção do trabalho decente e da justiça social na América Latina, África e Ásia-Pacífico.

Os quatro eixos são: erradicação do trabalho infantil e do trabalho forçado, saúde no trabalho, equidade de gênero, raça e geracional e emprego digno. 

Hussein Juma Hassan, trabalhando na Agência Governamental de Zanzibar para Serviços de Tratores e Máquinas Agrícolas em Zanzibar, Tanzânia.
OIT Belinda Japhet
Hussein Juma Hassan, trabalhando na Agência Governamental de Zanzibar para Serviços de Tratores e Máquinas Agrícolas em Zanzibar, Tanzânia.

Benefícios Mútuos

O anúncio foi feito na última sexta-feira, em Genebra, na Suíça, durante a Reunião Anual de Avaliação da Cooperação Sul-Sul Brasil-OIT. 

A coordenadora do Programa de Cooperação Sul-Sul e Triangular no Escritório da OIT para o Brasil, Fernanda Barreto, disse que a iniciativa permitirá uma via de mão dupla no compartilhamento de boas práticas. 

“Acho importante mencionar uma inovação que é o foco nos benefícios mútuos. O programa pretende elencar não só as políticas brasileiras que estão preparadas para serem compartilhadas com outros países, mas também as políticas brasileiras que vão receber, através da troca com outros países em desenvolvimento, inovações também.”

De acordo com ela, o Programa tem como pontos fortes os indicadores claros e o fato de integrar quatro eixos, incluindo, pela primeira vez questões de gênero e raça. Fernanda Barreto destacou também o aumento da cobertura geográfica.

“Normalmente o programa trabalhava com América Latina e o Caribe e alguns projetos na África, e dessa vez pretende-se também trabalhar na Ásia.” 

Atuação internacional do Brasil

O anúncio foi feito na última sexta-feira, em Genebra, na Suíça, durante a Reunião Anual de Avaliação da Cooperação Sul-Sul Brasil-OIT. 

Estavam presentes representantes do governo e organizações de trabalhadores e de empregadores brasileiros, além de funcionários da OIT.

A diretora-geral adjunta para Relações Exteriores e Corporativas da OIT, Laura Thompson, disse que o novo programa, chamado “Justiça Social para o Sul Global”, vai reforçar o objetivo da OIT de “forjar uma Coalizão Global pela Justiça Social.”

De acordo com ela, o projeto tem ainda o potencial de reforçar a atuação do Brasil dentro de espaços como o G20, o G77, os Brics e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp. 

As economias informais, inclusive em Madagascar, são tipicamente caracterizadas por uma alta incidência de pobreza e graves déficits de trabalho decente
OIT/Marcel Crozet
As economias informais, inclusive em Madagascar, são tipicamente caracterizadas por uma alta incidência de pobreza e graves déficits de trabalho decente

20 projetos em 40 países

Realizada pela primeira vez após sete anos, a Reunião Anual de Avaliação da Cooperação Sul-Sul Brasil-OIT apresentou os progressos alcançados e discutiu a colaboração. 

Criado em 2009, o Programa de Cooperação já implementou mais de 20 projetos em parceria com mais de 40 países da África, da América Latina e do Caribe.

Em sua nova fase, a iniciativa tem como foco o avanço e a promoção do trabalho decente e da justiça social, apoiando a ampliação das capacidades dos países parceiros para desenvolver, fortalecer e integrar políticas, programas e iniciativas.