Perspectiva Global Reportagens Humanas

Em evento global, ONU Habitat diz que cidades não são apenas “fontes de problemas”

O espaço público verde tem um efeito positivo na biodiversidade, clima, bem-estar e qualidade do ar
Unsplash/Nerea Martí Sesarin
O espaço público verde tem um efeito positivo na biodiversidade, clima, bem-estar e qualidade do ar

Em evento global, ONU Habitat diz que cidades não são apenas “fontes de problemas”

Desenvolvimento econômico

Assembleia do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos reúne líderes políticos em torno de metas para um futuro urbano sustentável; secretário-geral da ONU lembra que mais de 1 bilhão de pessoas ainda vivem em favelas.

A cidade de Nairóbi, no Quênia, recebe a segunda Assembleia do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos, ONU-Habitat. Até sexta-feira, o evento reúne mais de 80 ministros e vice-ministros de diversos países.

Em mensagem para a abertura da Assembleia, nesta segunda-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lembrou que metade da humanidade vive em cidades e que até 2050 elas abrigarão 2 bilhões de pessoas a mais.

Fonte de soluções

De acordo com o líder da ONU, atualmente, mais de 1 bilhão de pessoas habitam em favelas. Guterres disse esperar que a declaração ministerial da Assembleia contribua para um “futuro urbano sustentável”.

A diretora executiva do ONU-Habitat, Maimunah Mohd Sharif, disse que as cidades “não são apenas fonte de problemas, elas podem criar e escalar soluções”. Ela afirmou que quando bem planejadas, construídas e gerenciadas, os centros urbanos são “a forma mais sustentável de assentamento humano.”

O programa de cinco dias da Assembleia inclui um diálogo de alto nível dos chefes de Estado, debates temáticos e diálogos com foco no acesso universal a moradias populares, ação climática urbana, recuperação de crises urbanas e finanças locais.

Os Estados-membros da ONU votarão em diversas resoluções que deverão ser apresentadas para orientar os governos regionais, nacionais e locais, tendo em vista a garantia de um futuro urbano melhor para todos.

A diretora-executiva do ONU-Habitat, Maimunah Mohd Sharif, discursa na segunda sessão de abertura da Assembleia das Nações Unidas em Nairóbi, Quênia.
IISD/ENB Mike Muzurakis
A diretora-executiva do ONU-Habitat, Maimunah Mohd Sharif, discursa na segunda sessão de abertura da Assembleia das Nações Unidas em Nairóbi, Quênia.

Declaração Ministerial

Os temas presentes nas resoluções incluem cidades inteligentes, biodiversas e resilientes, habitação adequada para todos e progressos em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Ao final do encontro, será negociada ainda a aprovação de uma declaração ministerial com compromissos políticos.

A Assembleia do ONU-Habitat é o maior encontro sobre tendências e políticas urbanas. Ela acontece uma vez a cada quatro anos.

Além dos 193 Estados membros das Nações Unidas, que votam nas resoluções, participam também órgãos da ONU e agências especializadas, bem como organizações intergovernamentais, sociedade civil, setor privado, instituições acadêmicas e de pesquisa, mulheres, jovens, crianças e organizações de base.

Nesta edição, mais de 5 mil pessoas de 130 países estão participando dos debates.