Passar para o conteúdo principal

Banco Mundial aprova projeto de financiamento climático para o Brasil

Banco Mundial aprovou primeiro projeto com abordagem de empréstimo vinculada à sustentabilidade.
Grant Ellis/Banco Mundial
Banco Mundial aprovou primeiro projeto com abordagem de empréstimo vinculada à sustentabilidade.

Banco Mundial aprova projeto de financiamento climático para o Brasil

Desenvolvimento econômico

Em colaboração com o Banco do Brasil, projeto cria balcão único para oferecer às empresas opções mais fáceis para reduzir sua pegada de carbono; parceria deve ajudar a reduzir emissões de até 90 milhões de toneladas de CO2 até 2030.

O Banco Mundial aprovou um projeto de US$ 500 milhões para expandir o financiamento vinculado à sustentabilidade e fortalecer a capacidade de o setor privado acessar os mercados de crédito de carbono.

Em colaboração com o Banco do Brasil, o projeto adotará uma abordagem de empréstimo vinculada à sustentabilidade para ajudar o Brasil a alcançar suas metas climáticas.

Por meio do projeto com o Banco Mundial, o Banco do Brasil poderá oferecer financiamento e assistência técnica para empresas interessadas em acessar os mercados de carbono.
Marcelo Camargo/ABr.
Por meio do projeto com o Banco Mundial, o Banco do Brasil poderá oferecer financiamento e assistência técnica para empresas interessadas em acessar os mercados de carbono.

Mercados de carbono e empresas

A expectativa é promover uma redução de emissões de até 90 milhões de toneladas de CO2 equivalente (tCO2e) até 2030. O número equivale a cerca de 4,5% do que o Brasil precisa para cumprir seus compromissos de zerar as emissões de carbono.

Com o projeto, o Banco do Brasil poderá apresentar aos clientes, especialmente pequenos e médios negócios, pacotes que integram financiamento e assistência técnica para acessar os mercados de carbono. Atualmente, esse é um processo difícil para as empresas.

O projeto fornecerá uma linha de crédito de US$ 400 milhões. O Banco do Brasil usará esses recursos para oferecer empréstimos a empresas que implementarem planos confiáveis de redução de emissões de gases de efeito estufa. A iniciativa também vinculará essas empresas a mercados de carbono de alta qualidade.

A parceria inclui um Fundo de Dívida Climática piloto de US$ 98 milhões, que deve mobilizar até US$ 1,4 bilhão em capital privado para expandir o financiamento vinculado à sustentabilidade na economia em geral.
© Unep/Diego Rotmistrovksy
A parceria inclui um Fundo de Dívida Climática piloto de US$ 98 milhões, que deve mobilizar até US$ 1,4 bilhão em capital privado para expandir o financiamento vinculado à sustentabilidade na economia em geral.

Planos de mitigação

A parceria inclui um Fundo de Dívida Climática piloto de US$ 98 milhões, que deve mobilizar até US$ 1,4 bilhão em capital privado para expandir o financiamento vinculado à sustentabilidade na economia em geral.

Esses instrumentos de financiamento são complementados por US$ 2 milhões em recursos para aumentar a capacidade de o Banco do Brasil apoiar empresas na adoção de planos de mitigação confiáveis e no acesso a mercados de carbono de alta qualidade.

Trata-se do primeiro projeto do Banco Mundial estruturado nesse modelo, e ele pode ser replicado em escala em todo o mundo.

Apresentação: Mariana Ceratti, do Banco Mundial Brasil