ONU marca Dia Mundial do Toalete com exemplar gigante em frente à sede

Neste 19 de novembro, a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, exibe uma amostra inflável do lado de fora marcando o Dia Mundial da Toalete.
ONU/Mark Garten
Neste 19 de novembro, a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, exibe uma amostra inflável do lado de fora marcando o Dia Mundial da Toalete.

ONU marca Dia Mundial do Toalete com exemplar gigante em frente à sede

Saúde

Organização promove campanha Tornar o invisível visível para desencorajar poluição das águas subterrâneas; cerca de 3,6 bilhões de pessoas usam toaletes de má qualidade; governos devem acelerar atuação em ritmo quatro vezes mais rápido para evitar atrasos em meta global sobre o tema ainda nesta década.

Neste 19 de novembro, a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, exibe uma amostra inflável do lado de fora marcando o Dia Mundial do Toalete. A iniciativa pretende despertar a atenção para  o que a organização chama de crise global de saneamento.

Em 2022, a data é acompanhada da campanha Tornar o invisível visível. A iniciativa global ressalta a poluição das águas subterrâneas, explanando o efeito do uso de sistemas de saneamento inadequados que alastram dejetos humanos em rios, nos lagos e no solo.

Meninas usam toaletes em uma escola Benue State, Nigéria.
© Unicef/Adzape
Meninas usam toaletes em uma escola Benue State, Nigéria.

Má qualidade

A ONU estima que 3,6 bilhões de pessoas ainda vivem com toaletes de má qualidade. Eles prejudicam a saúde e poluem o meio ambiente.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, atua nesse setor em Moçambique. Mais de um quinto dos habitantes não usa instalações melhoradas de saneamento. A especialista Carlota Muianga está integrada na área da Água, Saneamento e Higiene e destaca que quase metade das províncias enfrentam a situação.

“Moçambique faz parte da lista dos países que têm índices de cobertura de saneamento ainda muito baixos. Neste momento, cerca de 22% da população moçambicana, ou cerca de 7 milhões, ainda praticam o fecalismo a céu aberto. Estes números agravam-se mais nas áreas da Nampula, Zambézia, Manica, Sofala e Tete. Em termos de disparidades ao longo do país, elas ainda são muito altas.”

As Nações Unidas defendem que uma mudança para um saneamento gerenciado com segurança protegeria as águas subterrâneas da poluição por dejetos humanos. A organização incentiva uma conexão a um sistema que remova de forma eficaz e trate os dejetos humanos para preservar as águas subterrâneas, consideradas as reservas mais abundantes do líquido no mundo.

 

Os  benefícios dessa medida incluem um melhor abastecimento de água potável e uso do recurso na agricultura, na indústria e nos ecossistemas. À medida que a mudança climática piora e as populações crescem, a água subterrânea é vital para a sobrevivência humana, destaca a ONU.

Toaletes seguras para todos

A campanha internacional apela os governos a trabalhar em média quatro vezes mais rápido para evitar atrasos no cumprimento da meta 6.2 dos Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, que prevê garantir acesso a saneamento adequado para todos até 2030.

Uma parceria envolvendo a ONU Água, a Organização Mundial da Saúde, OMS, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef,  marca o Dia Mundial do Toalete com foco no saneamento, na higiene e na melhora de sistemas em setores como saúde pública, igualdade de gênero, educação, desenvolvimento econômico e proteção ambiental.

 

Uma instalação sanitária recém-construída na casa de Agnes Djakwei em Accra, Gana, graças ao projeto de saneamento do Banco Mundial.
Banco Mundial
Uma instalação sanitária recém-construída na casa de Agnes Djakwei em Accra, Gana, graças ao projeto de saneamento do Banco Mundial.