América Latina precisa de mais inclusão, defende presidente do Conselho de Direitos Humanos

Federico Villegas, presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU
UN Geneva/Ali Khaffane
Federico Villegas, presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU

América Latina precisa de mais inclusão, defende presidente do Conselho de Direitos Humanos

Direitos humanos

Federico Villegas falou à ONU News sobre principais pautas na região; representante também comentou sobre a agenda ambiental e sua relação com os direitos humanos; ele avalia que revisão periódica do Brasil deve ser bem-sucedida.

“Um dos temas mais importantes para a América Latina é a inclusão. Somos, infelizmente, um continente com pouca equidade”, afirmou o presidente do Conselho de Direitos Humanos, Federico Villegas.

Em entrevista à ONU News, o embaixador argentino avalia que o desenvolvimento feito na região não trouxe de forma satisfatória a inclusão e a perspectiva de direitos humanos. No entanto, ele enxerga que o continente é muito ativo e está à frente de discussões contra diversos tipos de discriminação.

Reunião de mulheres indígenas no Equador
UN Women Ecuador/Johis Alarcón
Reunião de mulheres indígenas no Equador

Diversidade e inclusão

“A América Latina é muito ativa na pauta dos direitos das mulheres, com respeito das diversidades, discussões que são muito difíceis no Conselho, sobre o respeito as diversidades. Por exemplo, países da América Latina. lideraram o esforço do Conselho de continuar a agenda dos direitos das pessoas e a luta contra a discriminação e pela orientação sexual”.

A partir da próxima semana, 14 países serão avaliados na Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos. Nesta sessão, Equador e Brasil são os avaliados da América Latina.

“O Brasil é um país muito importante, é um ator internacional, é um país muito querido, naturalmente. É uma democracia viva, uma democracia importante. Eu acho que vai ser com muito sucesso que o Brasil vai passar a este exame periódico universal. E, naturalmente, o tema ambiental que está na discussão política vai estar também no periódico. Eu espero algo muito positivo do Brasil na semana próxima”.

Para Villegas, essa é uma oportunidade para que cada nação mostre como está avançando em várias áreas, mas também troquem percepções com outros governos e ONGs.

Os Estados que serão avaliados devem descrever os passos que tomaram para implementar recomendações recebidas durante suas revisões anteriores, apresentar os desenvolvimentos e compartilhar os desafios. Os relatórios que servem de base para essas revisões estão disponíveis online.

No relatório, o Brasil destaca ações em áreas como redução da pobreza e desenvolvimento social, proteção de minorias, trabalho forçado e segurança pública. O documento pode ser conferido no site do Conselho (em inglês).

Entre 2000 e 2016, quase 55 milhões de hectares de florestas desapareceram na América Latina
IMF/Raphael Alves
Entre 2000 e 2016, quase 55 milhões de hectares de florestas desapareceram na América Latina

Pauta climática

Outro tema importante para a região é a questão climática. Neste ano, o Conselho de Direitos Humanos declarou o meio ambiente saudável como um direito humano. Com a COP27 iniciando neste domingo, Federico Villegas comentou sobre a importância de olhar os temas ambientais com uma “perspectiva humana”;

Ele defendeu um novo contrato social novo que em que “os temas ambientais não são temas sociais, econômicos, científicos, são temas de direitos humanos”.

Villegas contou que o Conselho aprovou o primeiro relator independente especial para avaliar o impacto do climático nos direitos humanos. Segundo ele, o primeiro relatório traz informações alarmantes.