Crescimento da internet desacelera e 2,7 bilhões ficam fora da rede BR

Aqueles que ainda vivem sem acesso à internet moram em áreas remotas e de difícil acesso
Unicef/UN051302/Herwig
Aqueles que ainda vivem sem acesso à internet moram em áreas remotas e de difícil acesso

Crescimento da internet desacelera e 2,7 bilhões ficam fora da rede

Cultura e educação

Um terço da população mundial não tem acesso online; dados são da União Internacional de Telecomunicações, UIT; chefe da agência da ONU afirma que é preciso manter o ritmo de conectividade visto durante a pandemia.

O mundo precisa fazer mais investimentos para aumentar o número de pessoas conectadas à internet. O apelo é do secretário-geral da União Internacional de Telecomunicações, UIT.

Houlin Zhao falou após a divulgação do relatório da agência da ONU sobre a desaceleração no crescimento de conectividade global.

Sebabatso Nchephe, 18 anos, conversa remotamente com sua mentora, Pretty Jagivan, em Sandton, África do Sul. Parcela de indivíduos usando internet, cresceu 6% entre 2021 e 2022
© Unicef/Karin Schermbrucker
Sebabatso Nchephe, 18 anos, conversa remotamente com sua mentora, Pretty Jagivan, em Sandton, África do Sul. Parcela de indivíduos usando internet, cresceu 6% entre 2021 e 2022

Falta de investimentos em infraestrutura atrapalha avanços

Ao todo, existem 5,3 bilhões de usuários da internet no mundo, mas pelo menos 2,7 bilhões nunca tiveram acesso à rede. O número equivale a um terço da população mundial. Os dados indicam um crescimento menor do que o visto durante o ápice da pandemia de Covid-19.

Para a UIT, as tendências de queda de usuários se devem à falta de investimentos em infraestrutura e a um novo ímpeto para promover habilidades e conhecimentos digitais. Ele acredita que se nada for feito, a meta para conectar todo o mundo até 2030 não será cumprida.

Mundo tem que ultrapassar grandes desafios

Zhao diz que é preciso manter o ritmo de crescimento para que todos possam se beneficiar das tecnologias e dos recursos digitais.

Segundo a UIT, no ano passado, havia 3 bilhões de pessoas sem acesso à internet. Este ano, são 2,7 bilhões. Antes da pandemia, o número era de 3,6 bilhões de desconectados ou quase metade da população mundial. Em meio a preocupações sobre a desaceleração do progresso, a agência da ONU indica dois grandes desafios para avançar com as transformações.

Segundo a UIT, no ano passado, havia 3 bilhões de pessoas sem acesso à internet. Este ano, são 2,7 bilhões
Unsplash/rupixen
Segundo a UIT, no ano passado, havia 3 bilhões de pessoas sem acesso à internet. Este ano, são 2,7 bilhões

Áreas remotas e de difícil acesso

Dentre eles estão a conectividade universal que significa trazer todas as pessoas para a rede mundial. Aqueles que ainda vivem sem acesso à internet moram em áreas remotas e de difícil acesso.

A agência da ONU também aposta na mudança da conectividade básica para significativa, na qual os usuários possam não somente acessar a rede regularmente, mas também melhorar suas vidas.

Existem barreiras para tal como conexão lenta, pacotes de internet caros, desigualdade digital, barreiras linguísticas e de discriminação de gênero. Um outro problema são a falta de energia elétrica em muitas partes do mundo

Acesso seguro, satisfatório e a um preço acessível para todos

A diretora do Departamento de Desenvolvimento da UIT, Doreen Bogdan-Martin, afirma que embora o crescimento no número de usuários seja positivo, não se pode presumir que o aumento robusto continue de forma inabalável. Para ela, será difícil conectar todas as pessoas no mundo devido a empecilhos geográficos e socioeconômicos.

Para a UIT, a conectividade significativa é um nível de conexão que permite aos usuários um acesso seguro, satisfatório e produtivo a um preço acessível. Em todo o mundo, a quantidade de internautas subiu 7%. Já a penetração da internet, que é a parcela de indivíduos usando a rede, cresceu 6% entre 2021 e 2022.
Mas esse crescimento permanece desigual entre as regiões do globo.

As áreas com baixa penetração alcançaram um aumento mais rápido no ano passado, o que é um padrão natural para novas e emergentes tecnologias.

Cerca de 71% da população mundial entre 15 e 24 anos usam a internet
Uneca/Abel Akara Ticha
Cerca de 71% da população mundial entre 15 e 24 anos usam a internet

África, a menos conectada, mas a região que mais cresce

A África, que permanece sendo a região menos conectada da UIT, teve 13% de crescimento, ano após ano, da penetração de internet. Hoje, 40% dos africanos estão conectados.

Os países árabes mostraram um crescimento robusto, com a internet alcançando 70% da população. Na região da Ásia-Pacífico, a penetração da internet subiu 61% no ano passado passando a 64% este ano. Já as Américas, os Estados Independentes da Commonwealth e a Europa alcançaram 3% de crescimento, com mais de 80% da população na internet em cada região.

A Europa permanece a região mais conectada em todo o globo com 89% da população online.