Líderes e jovens discutem futuro na Cúpula da Educação Transformadora BR

Cúpula da Educação Transformadora pretende responder a uma crise global
Unicef/Jose Vilca
Cúpula da Educação Transformadora pretende responder a uma crise global

Líderes e jovens discutem futuro na Cúpula da Educação Transformadora

Desenvolvimento econômico

Evento de três dias destaca mobilização, soluções e líderes do setor; encontro definirá plano global para acelerar mudanças e será o mais importante antes de chefes de Estado e de governo iniciarem o ciclo deste ano de debates de alto nível da Assembleia Geral. 

As Nações Unidas dão início nesta sexta-feira a Cúpula da Educação Transformadora na sede da organização, em Nova Iorque. A vice-secretária-geral da ONU, Amina Mohammed coordenará as discussões no evento com a participação de líderes juvenis, professores e ministros.

O encontro, que termina na segunda-feira, culminará com promessas de chefes de Estado. Agências da ONU terão participação na iniciativa que pretende definir um plano para acelerar mudanças no setor em nível global.

Crise

De acordo com as Nações Unidas, a Cúpula da Educação Transformadora pretende responder a uma crise global na educação. Com as contribuições no evento se pretende conseguir equidade, inclusão, qualidade e relevância no setor.

Encontro definirá plano global para acelerar mudanças
Unicef/Ashley Gilbertson
Encontro definirá plano global para acelerar mudanças

 

A expectativa das Nações Unidas é que o evento seja uma oportunidade “para colocar a educação no topo da agenda política global e mobilizar ação, ambição, solidariedade e soluções para recuperar as perdas relacionadas à pandemia.” Outra meta é fundar os alicerces para transformar a educação em um mundo em rápida mudança.

Na sexta-feira, o Dia de Mobilização ressaltou protagonistas jovens contribuam com sugestões  sobre a transformação da educação para os políticos.
No sábado, o Dia das Soluções, a meta é estabelecer uma plataforma para os parceiros mobilizarem apoio para novas iniciativas, alianças e outras ações envolvendo diferentes setores que contribuirão para transformar a educação.

Carta de chefes de Estado e Governo

Ainda na sexta-feira, mais de 100 líderes entregaram uma carta pedindo à Cúpula para se comprometer com recursos contra a crise na educação e com medidas ousadas que possam criar a Primeira feração da história que enviará todas as crianças à escola.  
A carta foi firmada por uma série de presidentes, primeiros-ministros e chefes das Relações Exteriores, dentre eles o ex-líder da Nigéria, Olusegun Obasanjo, a ex-premiê da Nova Zelândia, Helen Clark, e o ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.
Os autores da carta propuseram um Pacto Global pela Educação entre países em desenvolvimento e economias desenvolvidas. A proposta é que os países possam dedicar de 15% a 20% de seus orçamentos ao ensino e que bancos de desenvolvimento elevem a assistência para 15% à educação criando um montante adicional de US$ 15 bilhões para os próximos cinco anos e beneficiando 200 milhões de alunos.
 

Na segunda-feira, o Dia dos Líderes ficará marcado por declarações de compromisso feitas pelos chefes de Estado e de governo em mesas redondas. O evento será o principal  antes do início do debate de alto nível da Assembleia Geral. 
 

Agências da ONU terão participação na iniciativa que pretende definir um plano para acelerar mudanças
Unicef/ Frank Dejongh
Agências da ONU terão participação na iniciativa que pretende definir um plano para acelerar mudanças