Chefe da ONU visita Paquistão para fazer apelo por ajuda após inundações BR

ONU já forneceu comida ou assistência em dinheiro a pelo menos 336 mil pessoas afetadas
© Unicef/Asad Zaidi
ONU já forneceu comida ou assistência em dinheiro a pelo menos 336 mil pessoas afetadas

Chefe da ONU visita Paquistão para fazer apelo por ajuda após inundações

Ajuda humanitária

António Guterres ressalta que é preciso que o mundo preste atenção à destruição causada pelas mudanças climáticas; governo paquistanês e OMS declararam alto nível de alerta; impacto causado pelas chuvas torrenciais de monção não tem precedentes.

Em declarações feitas horas antes de seguir para o Paquistão, o secretário-geral das Nações Unidas anunciou que lidar com as mudanças climáticas, que é a questão que define o tempo atual, usando práticas habituais, “é puro suicídio”.

António Guterres disse a jornalistas, em Nova Iorque, que pedirá apoio em grande escala para o Paquistão, durante a visita ao país que tem agora um terço de seu território submerso devido às chuvas de monção das últimas semanas.

Solidariedade

O líder da ONU enfatizou que na viagem ao Paquistão expressará profunda solidariedade ao povo e pedirá o apoio maciço da comunidade internacional aos paquistaneses, em hora de necessidade após as enchentes devastadoras que veem sendo testemunhadas.

De acordo com a organização, a dimensão da crise humanitária não tem precedentes. Estima-se que 33 milhões de pessoas já foram afetadas pelo desastre.

Chuvas torrenciais e inundações forçaram milhares de pessoas a deixar suas casas no Baluchistão, Paquistão.
© UNICEF/Abdul Sami Malik
Chuvas torrenciais e inundações forçaram milhares de pessoas a deixar suas casas no Baluchistão, Paquistão.

 

As chuvas ultrapassaram o recorde de 100 anos. A quantidade de precipitação em algumas províncias é cinco vezes superiores à média de 30 anos.

O número de mortes chegou a 1,2 mil e outros 6 mil paquistaneses ficaram feridos. Mais de 1,1 milhão de casas foram arrastadas e infraestrutura vital destruída.

Emergência

Guterres destacou a importância de estar atento à destruição das mudanças climáticas, em momento de “muita atenção à guerra na Ucrânia”. As declarações foram feitas antes da reunião do Conselho de Segurança que nesta terça-feira abordou a situação em Zaporizhzhia, na usina nuclear da Europa.

O chefe da ONU disse que as pessoas tendem a esquecer que há outra guerra, a que chama de “guerra que o mundo está travando contra a natureza, e a natureza está contra-atacando”. Para Guterres, as mudanças climáticas estão sobrecarregando a destruição do Planeta. No pronunciamento, ele citou acontecimentos em países como Paquistão, Chade e Chifre da África, onde a seca causa fome.

Desde de junho de 2022, inundações e deslizamentos de terra causados por fortes chuvas de monção causaram destruição generalizada em todo o Paquistão
© WFP/Saiyna Bashir
Desde de junho de 2022, inundações e deslizamentos de terra causados por fortes chuvas de monção causaram destruição generalizada em todo o Paquistão

 

Guterres destacou que atualmente os eventos ocorrem no Paquistão e “amanhã pode ser em qualquer outro lugar”.

A ONU já forneceu comida ou assistência em dinheiro a pelo menos 336 mil pessoas afetadas pelas enchentes na província do Baluquistão.

O Governo do Paquistão declarou emergência nacional e a representação da Organização Mundial da Saúde no país ativou seu nível mais alto de alerta.