Cinco coisas que você precisa saber sobre a 77ª Assembleia Geral da ONU BR

Em 2022, Assembleia Geral da ONU acontece de entre 12 e 27 de setembro
Foto ONU/Cia Pak
Em 2022, Assembleia Geral da ONU acontece de entre 12 e 27 de setembro

Cinco coisas que você precisa saber sobre a 77ª Assembleia Geral da ONU

Assuntos da ONU

Faltando semanas para a abertura do evento, a comunidade diplomática das Nações Unidas e os moradores da cidade de Nova Iorque, se preparam para a chegada anual de chefes de Estado e de governo de todo o mundo. Muitos detalhes ainda precisam ser confirmados, mas aqui estão cinco coisas para você ficar de olho entre 12 e 27 de setembro.

1 - Um presidente húngaro pega o martelo

Uma nova sessão significa um novo presidente da Assembleia Geral. O atual, Abdulla Shahid, das Maldivas, sairá. Csaba Korosi, da Hungria, assumirá o mandato pelos próximos doze meses. A entrega do bastão ocorrerá na segunda-feira, 12 de setembro. Shahid encerrará a 76ª sessão da Assembleia Geral pela manhã, e a 77ª sessão será oficialmente aberta às 15h do mesmo dia.

Korosi ocupou vários cargos no Ministério das Relações Exteriores de seu país, sendo seu cargo mais recente diretor de Sustentabilidade Ambiental no gabinete do presidente da Hungria. Ele tem envolvimento com a ONU há vários anos, e a presidência provavelmente não envolverá muitos aprendizados porque Korosi atuou como vice-presidente da Assembleia Geral durante a 67ª sessão em 2011.

Csaba Kőrösi foi o único candidato que se apresentou para liderar a próxima sessão, com início em setembro.
UN Photo/Eskinder Debebe
Csaba Kőrösi foi o único candidato que se apresentou para liderar a próxima sessão, com início em setembro.

 

2. Cúpula da Educação Transformadora

Como de costume, a atenção internacional, assim como o grande número de policiais e reclamações sobre engarrafamentos dos moradores de Nova Iorque, se concentrará na semana do Debate de Alto Nível, que começa na terça-feira, 20 de setembro.

No entanto, a Cúpula da Educação Transformadora, que acontece na semana anterior na sede da ONU é considerada um grande evento pela organização. O encontro acontece na sexta-feira 16, sábado 17 e segunda-feira 19 de setembro.

Sexta-feira será o “Dia da Mobilização”, que será liderado e organizado por jovens, levando as preocupações da juventude sobre educação para tomadores de decisões e formadores de políticas públicas e se concentrará na mobilização do público global, jovens, professores, sociedade civil e outros, para apoiar a transformação da educação em todo o mundo.

O segundo dia é sobre soluções e foi projetado para ser uma plataforma para iniciativas que contribuirão para transformar a educação. O dia está agrupado em cinco temas: escolas inclusivas, equitativas, seguras e saudáveis; aprendizagem e habilidades para a vida; trabalho e desenvolvimento sustentável; professores, docência e profissão docente; aprendizagem e transformação digital; e financiamento da educação.

O terceiro dia, na segunda-feira, 19 de setembro, é o Dia dos Líderes, aproveitando o fato de que vários chefes de Estado e de Governo estarão em Nova Iorque naquela semana. Espera-se uma série de Declarações Nacionais de Compromisso desses líderes.

Evento de alto nivel, na sede da ONU em 2018, assinalou o lançamento da estratégia da ONU para a juventude até 2030.
Foto: ONU/Mark Garten
Evento de alto nivel, na sede da ONU em 2018, assinalou o lançamento da estratégia da ONU para a juventude até 2030.

 

3. Momento ODS

Este ano, o Momento ODS, que acontecerá entre 8h30 e 10h de segunda-feira, 19 de setembro, imediatamente antes do Dia do Líder da Cúpula da Educação Transformadora, será uma oportunidade para reorientar a atenção para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, um projeto para um futuro mais justo para as pessoas e para o planeta.

Falando no Fórum Político de Alto Nível, em julho, Amina Mohammed, vice-secretária-geral, disse que as transições em energia renovável, sistemas alimentares e conectividade digital, juntamente com “investimentos em capital humano, financiando as oportunidades”, são necessários para transformar múltiplas crises em oportunidades.

Mohammed disse que o momento deste ano será “uma oportunidade de focar nessas transições profundas e no trabalho necessário para nos colocar de volta nos trilhos. Também será um marco importante no caminho para a Cúpula dos ODS de 2023.”

No ano passado, o destaque foi a presença do grupo musical coreano BTS, que refletiu sobre a enorme ruptura causada pela pandemia do Covid-19 e desafiou a ideia de que eles fazem parte de uma “geração perdida do Covid”.

Em setembro de 2021, os integrantes do BTS estiveram na Assembleia Geral
Foto: UN Photo/Loey Felipe
Em setembro de 2021, os integrantes do BTS estiveram na Assembleia Geral

 

4. Os direitos das minorias

Em 1992, os Estados-membros da ONU adotaram a Declaração sobre os Direitos das Pessoas Pertencentes a Minorias Nacionais ou Étnicas, Religiosas e Linguísticas, descrita pela ONU como um instrumento-chave para abordar as questões políticas e direitos civis, econômicos, sociais e culturais das pessoas pertencentes a minorias.

Na quarta-feira, 21 de setembro, na Câmara do Conselho de Tutela, acontecerá uma reunião de alto nível, como parte da comemoração anual do 30º aniversário da Declaração.

Falando em junho, Paolo David, chefe da Seção de Povos e Minorias Indígenas da ONU, disse que, embora a adoção da Declaração tenha trazido esperança há três décadas, esse sentimento foi rapidamente perdido devido ao conflito armado na ex-Iugoslávia. David observou que as minorias continuam sendo instrumentalizadas em muitos conflitos, inclusive em países como Ucrânia, Etiópia, Mianmar, Sudão do Sul, Síria e Iêmen.

Hoje, as minorias enfrentam barreiras e desafios sem precedentes, de acordo com a ONU. Em muitos países, elas lidam com ameaças modernas, como discurso de ódio online e estão sendo destituídas de direitos de cidadania.

O evento é anunciado como uma oportunidade de fazer um balanço das restrições e conquistas, compartilhar exemplos de melhores práticas e definir prioridades para o futuro.

Crianças indígenas na Amazônia
Foto: Opas/OMS/Karen González Abril
Crianças indígenas na Amazônia

 

5. Semana dos Objetivos Globais

O Debate Geral coincidirá com a Semana dos Objetivos Globais. É  um programa de nove dias de eventos virtuais e presenciais que acontecem entre 16 e 25 de setembro, envolvendo mais de 170 parceiros da sociedade civil, empresas, academia, e o sistema da ONU, para acelerar a ação sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

Os vários eventos para o período incluem a Semana do Clima de Nova Iorque, cobrindo uma ampla gama de desafios relacionados ao clima, o Fórum do Setor Privado da ONU, dirigido pelo Pacto Global, que reúne empresas, as Nações Unidas e  sociedade civil para enfrentar crises globais.

Está ainda agendado o lançamento do Projeto de Ação Climática de 2002 da Take Action Global, que reúne salas de aula de mais de 140 países para uma série de entrevistas ao vivo, visitas a escolas e aquisições de mídia social.

Haverá projeção de vídeos da ODS Media Zone para assistir durante a Semana dos Objetivos Globais, com dezenas de palestrantes interessantes, incluindo criadores de conteúdo, influenciadores, ativistas e parceiros de mídia, participando de painéis de discussão que destacarão ações e soluções em apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A lista dos convidados será anunciada aqui, mais próximo à data do evento.

Painéis de discussão que destacarão ações e soluções em apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
ONU/Anton Uspensky
Painéis de discussão que destacarão ações e soluções em apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável