Dia Internacional da Juventude busca pontes com outras faixas etárias BR

Neste 12 de agosto, a ONU celebra o Dia Internacional da Juventude
© UNICEF/UN0640703/FrankDejongh
Neste 12 de agosto, a ONU celebra o Dia Internacional da Juventude

Dia Internacional da Juventude busca pontes com outras faixas etárias

ODS

Data ressalta que a cooperação de gerações jovens e mais experientes é fundamental para resolver os desafios e urgências causados pela emergência climática e outros temas da Agenda 2020, de desenvolvimento sustentável.

Segundo as Nações Unidas, o mundo tem 1,2 bilhão de pessoas entre 15 e 24 anos ou 15,5% da população global.
 
Neste 12 de agosto, a organização celebra o Dia Internacional da Juventude, em eventos liderados pelo Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa.

Ativistas jovens fazem protesto em Toronto Canadá.
Foto:© Unsplash/Lewis Parsons
Ativistas jovens fazem protesto em Toronto Canadá.


Desigualdades socioeconômicas, de raça e gênero 

 
Este ano, o tema é “Solidariedade entre gerações: criando um mundo para todas as idades” para combater o etarismo e construir pontes entre as gerações. 
 
Segundo os organizadores, os problemas do mundo são muito vastos para que qualquer grupo etário fique de fora das soluções.
 
A data quer alinhar todas as gerações para poder avançar na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável com o relatório do secretário-geral da ONU, “Nossa Agenda Comum”. O documento convida os legisladores a ouvir e incluir os jovens em suas políticas.
 

COP 25: veja o discurso na íntegra de Greta Thunberg com legendas em português


Jovens são leais a quem se alinha a seus temas e interesses


O Unfpa lembra que a juventude não espera mais por um convite ou permissão, mas se organiza com seus pares e inicia movimentos para gerar mudança.
 
Os jovens também são mais pragmáticos e mudam de posição para serem leais àqueles que são leais a seus temas e interesses.
 
Um dos exemplos de ativismo político na adolescência ou juventude é o da sueca Greta Thunberg, que ficou conhecida ao fazer greve na escola, toda sexta-feira, para chamar a atenção do mundo para a crise climática.
 
Convidada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, para discursar no hall da Assembleia Geral em 2019, Greta perguntou aos líderes internacionais na plateia, entre eles o presidente dos Estados Unidos, como eles se “atreviam” a não cuidar do planeta que era o futuro dela e de crianças na idade dela. A adolescente disse a todos que tinha raiva da situação.

Dia Internacional da Juventude

 

O normal é desafiar o status quo


Assim como Greta, outros jovens pelo mundo falam diretamente a líderes políticos, alçam suas vozes e exigem soluções de governos e de grandes empresas no setor privado. 
 
Desde que a Assembleia Geral instituiu o Dia Internacional da Juventude, em 12 de agosto de 1999, a proposta tem sido envolver a participação dos jovens em assuntos que dizem respeito a eles. 
 
Ao pensar o tema deste ano, o Unfpa e outras agências da ONU lembrar que o etarismo, ou o preconceito com a pessoas por causa de sua idade avançada, é uma discriminação que tende a se cruzar com sexismo e racismo e pode ter efeitos arrasadores sobre a saúde e a participação em várias esferas.

ONU quer reforçar acção de gerações mais jovens pressionando líderes mundiais para resolver crises
ONU/Laura Jarriel
ONU quer reforçar acção de gerações mais jovens pressionando líderes mundiais para resolver crises


Preconceitos e desafios, eventos climáticos extremos

 
A agência da ONU afirma que além de preconceitos relacionados a faixas etárias, os jovens também suportam um fardo desproporcional das crises ambientais, enfrentadas atualmente pelo mundo. 
 
Pesquisas indicam que muitos jovens se sentem frustrados e ignorados, o que cria um senso de injustiça, que nos últimos anos, tem sido alimentado pelo ativismo climático da juventude.
 
Um estudo recente (link em inglês study), revela que as crianças nascidas em 2020 experimentam um aumento de duas a sete vezes mais que pessoas nascidas em 1960, dentre os eventos climáticos extremos, as ondas de calor são os mais frequentes.

Para os jovens, a crise climática é uma ameaça à segurança das gerações deles.