Agência atômica lança banco de dados sobre consumo de leite materno
BR

6 agosto 2022

Pesquisa com cerca de 3 mil mães e bebês pelo mundo é a mais abrangente sobre aleitamento ao redor do globo; coleção de estudos reúne 28 países em todas as regiões usando técnica nuclear.

Uma iniciativa da Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, está mapeando o consumo de leite materno no mundo. Com base em dados de cerca de 3 mil mulheres e bebês, a agência da ONU traçou a situação de 28 países em todas as regiões do globo.

Utilizando uma técnica de energia nuclear com a dose de óxido de deutério para a mãe (DTM, em inglês), a Aiea lançou o quadro mais abrangente sobre o tema para determinar a quantidade consumida de leite materno pelos bebês.

OMS considera o aleitamento materno mais nutritivo e saudável do que os produtos substitutos
OMS/Sergey Volkov
OMS considera o aleitamento materno mais nutritivo e saudável do que os produtos substitutos

Seis primeiros meses de vida

O banco de dados reúne uma crescente coleção de estudos de todos os continentes.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirma que amamentar o bebê até os seis primeiros meses de vida leva a um crescimento ideal, desenvolvimento e saúde.

Atualmente, a maior parte dos dados sobre aleitamento materno baseia-se em informações enviadas pelas próprias mães. Elas reportam os tipos de alimentos e líquidos que fornecem às crianças.

A técnica DTM é uma método isotópico estável e não-invasivo, onde a transferência do leite materno para o bebê pode ser medida de forma segura, e como uma maneira objetiva de determinar as práticas de aleitamento.

As diretrizes da OMS incluem recomendações para o aleitamento materno e apoio aos pais no cuidado com os bebês
@Vincent Cardinal
As diretrizes da OMS incluem recomendações para o aleitamento materno e apoio aos pais no cuidado com os bebês

Análises inovadoras e novas formas de comportamento

A especialista em nutrição da Aiea, Pernille Kaestel, afirma que o banco foi inaugurado porque a agência quis criar uma coleção global de dados única, que pudesse ser atualizada, para possibilitar análises inovadoras de dados.

Para ela, a iniciativa permite que uma grande quantidade de dados gere novos valores com o potencial de descobrir novas formas do comportamento do aleitamento materno.

Geralmente, os estudos sobre o consumo de leite materno não podem ser generalizados por causa do tamanho pequeno das amostras com cerca de 30 a 100 participantes. 

Mas pelo projeto da Aiea, pesquisadores da área de DTM de todo o mundo poderão continuar contribuindo para a iniciativa. Aspectos como as relações e práticas de aleitamento com variáveis, incluindo status socioeconômico ou a composição do corpo materno, diferem ao redor do mundo.

Sede da Aiea em Viena, na Áustria.
Aiea/FAO
Sede da Aiea em Viena, na Áustria.

Controle de qualidade

A divulgação do banco de dados coincide com o encerramento da Semana Mundial de Amamentação, neste 7 de agosto.

A iniciativa quer promover, proteger e apoiar o aleitamento em diferentes estratos da sociedade. O banco de dados está à disposição de pesquisadores e dos interessados em análise. O controle de qualidade é feito por um grupo de gerenciamento por meio da Aiea.

Para contribuir com o Banco de Dados sobre Consumo de Leite Materno, clique aqui.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud