Guiné-Bissau otimiza fundos da pandemia contra outras doenças

5 agosto 2022

Organização Mundial da Saúde esteve na linha de frente de combate à Covid-19; scanner de Tomografia Axial Computorizada será comprado com fundos da pandemia; OMS quer resolução definitiva das carências de oxigênio nos hospitais do país.

A Organização Mundial da Saúde, OMS e o Ministério Guineense da Saúde Pública querem colocar um ponto final às recorrentes perturbações na cadeia de fornecimento do oxigênio nos hospitais públicos e postos de saúde da Guiné-Bissau.

Uma fábrica de oxigênio, adquirida com fundos de solidariedade da OMS, já se encontra no país para cobrir à carência constante deste elemento químico. Por falta do produto, várias pessoas morreram. A obra da instalação da nova usina está em curso e deve ser concluída em três meses.

Na Guiné-Bissau, mais de dois terços da população vive com menos de US$ 2 por dia e mais de um terço enfrenta a situação de pobreza extrema.
Alexandre Soares
Na Guiné-Bissau, mais de dois terços da população vive com menos de US$ 2 por dia e mais de um terço enfrenta a situação de pobreza extrema.

Barco-ambulância

Falando à ONU News, em Bissau, o representante da OMS no país, Jean-Marie Kipela, disser ser necessário resolver o problema, de uma vez por todas, e lembrou que a agência está atuando também na aquisição de um barco-ambulância para alargar a cobertura da Rede de Ambulâncias à zona insular.

“OMS está a pensar junto com o Ministério da Saúde reforçar este aspeto de ambulâncias para cobrir a parte das ilhas com barcos- ambulâncias. Em breve, vamos adquirir barco-ambulância para servir às ilhas. OMS para reforçar o sistema de saúde criou junto com o Alto Comissariado a Rede das Ambulâncias que cobre todo o país, exceto as ilhas”.

Jean Marie Kipela, representante residente da OMS.
Amatijane Candé.
Jean Marie Kipela, representante residente da OMS.

Tumores, diagnóstico e tratamento

Para reforçar os meios de diagnóstico, o Hospital Nacional Simão Mendes vai ser dotado do seu primeiro aparelho de tomografia axial computorizada. O único que, existe até ao momento, é de uma clínica privada nos arredores de Bissau.  O scanner vai ser adquirido com verbas do fundo de emergência que o Banco Islâmico alocou ao país no âmbito da resposta à Covid-19.

“Recebemos um técnico que veio da Philips para aconselhar e ajudar a identificar o espaço, onde o equipamento vai ser instalado. Um aparelho muito importante para o diagnóstico, sobretudo dos tumores, da parte óssea e muscular. Vai fazer diferença no tratamento dos pacientes e diagnóstico ao nível do país”.

Durante a pandemia, a OMS atuou na elaboração do plano de resposta, partilha de informações e experiências de outros países, vigilância e diagnóstico laboratorial.  Gestão clínica de casos, prevenção e controlo de infeções, sensibilização comunitária e disponibilização de equipamentos de proteção individual.

Jovem nas bolanhas de Bissau
ONU News/Alexandre Soares
Jovem nas bolanhas de Bissau

Ações prioritárias

A agência da ONU equipou o país com o “gene expert”, um kit que vem estender a capacidade de diagnóstico laboratorial da Covid-19 a todas as regiões sanitárias, onde se está a implementar um projeto de vigilância comunitária com teste de antígeno.

Cerca de18 mil testes foram recentemente disponibilizados para rastrear contatos ao nível das comunidades onde haja caso positivo para interromper a circulação do vírus que continua a infetar entre 1 a 3 pessoas por dia.

Aproximadamente 145 mil testes PCR foram feitos no país, desde o início da pandemia, dos quais foram confirmados 8.402 casos positivos. Mais de 95% deste total já está recuperado, 47 continuam a ser seguidos, houve 172 óbitos e 26 casos ativos.

 

*De Bissau, Amatijane Candé para a ONU News.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud