Relatora quer medidas para frear sequestros na fronteira México-EUA
BR

29 julho 2022

Defensores de direitos humanos estão sendo atacados na área; há um mês, um pastor batista que distribuía comida e abrigo para migrantes foi levado por criminosos envolvidos com tráfico de seres humanos.

A relatora especial* sobre a situação de defensores de direitos humanos afirmou que está preocupada com alguns casos na fronteira do México e Estados Unidos. 

Segundo Mary Lawlor, voluntários que trabalham na área estão sob risco de violência. 
 

Rede de refúgio sem fins lucrativos

Mural em Oaxaca, México.
Foto: Primavera Díaz
Mural em Oaxaca, México.

A relatora contou o caso de um pastor da Igreja Batista que, há mais de cinco anos, distribui, de forma voluntária, alimentos e abrigo a migrantes na fronteira dos Estados Unidos com o México.
 
Por fazer esse trabalho, Lorenzo Ortiz foi ameaçado e intimidado por criminosos no passado, mas o risco agora teria aumentado de forma drástica.
 
Em 2 de junho, o pastor Ortiz foi sequestrado por um cartel de traficantes de seres humanos juntamente a outras 10 pessoas que ele acolhia.
 
Ele dirige uma rede de refúgio, sem fins lucrativos, em ambos os lados da fronteira. Com isso, apoia as pessoas que saem do México a caminho dos Estados Unidos e que não têm recursos.

Livre de resgate, mas não de ameaças

 
Os bandidos acusam o pastor de reduzir os “lucros” da rede criminosa e negam o auxílio gratuito. 
 
Para libertar o pastor, os criminosos pediram US$ 40 mil.
 
Segundo Lawlor, graças à mobilização rápida e eficiente das autoridades mexicanas, da sociedade civil e comunidades locais, os criminosos liberaram o religioso sem pagamento de resgate.

Uma jovem que fugia da violência no México foi detida enquanto viajava com sua irmã para encontrar sua mãe nos Estados Unidos
© UnicefAdriana Zehbrauskas
Uma jovem que fugia da violência no México foi detida enquanto viajava com sua irmã para encontrar sua mãe nos Estados Unidos

Mas a situação no terreno não mudou. O pastor continua sob a mira dos sequestradores, que aparecem no abrigo liderado por ele fazendo ameaças.
 
Para a relatora de direitos humanos, é preocupante o risco extraordinário que defensores de direitos humanos têm que correr apenas por apoiar seres humanos que precisam.
 
Mary Lawlor pediu ao governo do México que faça mais para enfrentar a influência dos cartéis em comunidades próximas à fronteira com os Estados Unidos. 
 
*Os relatores de direitos humanos são independentes das Nações Unidas e não recebem salário pelo seu trabalho.

Uma jovem que fugia da violência no México foi detida enquanto viajava com sua irmã para encontrar sua mãe nos Estados Unidos
© UnicefAdriana Zehbrauskas
Uma jovem que fugia da violência no México foi detida enquanto viajava com sua irmã para encontrar sua mãe nos Estados Unidos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud