Portugal e Espanha devem viver três dias de calor acima de 40 graus BR

Segunda grande fase de calor neste ano se intensificará e se espalhará pelo continente
Reprodução/OMM
Segunda grande fase de calor neste ano se intensificará e se espalhará pelo continente

Portugal e Espanha devem viver três dias de calor acima de 40 graus

Clima e Meio Ambiente

Previsão da meteorologia indica que o mesmo pode ocorrer com França e Itália agravando risco de incêndios florestais; OMM monitora com preocupação o derretimento de geleiras na Ásia devido ao verão com temperaturas extremas.

Os próximos três dias serão de temperaturas de até 40% na Europa Ocidental.

Nesta terça-feira, em Genebra, a porta-voz Claire Nullis da Organização Meteorológica Mundial, OMM, disse que a segunda grande fase de calor neste ano, que começou esta semana, afeta Espanha e Portugal, mas se intensificará e se espalhará pelo continente.

Incêndios

A OMM prevê que a onda de calor que se está se formando na Península Ibérica atravesse para a França e outros países, agravando a onda seca e o risco de incêndios florestais.

Nos Estados Unidos, um verão muito quente e seco
Unsplash/Alex Mertz
Nos Estados Unidos, um verão muito quente e seco

Perante o problema que se torna ainda mais intenso, a Organização Meteorológica Mundial diz que opera com centros regionais.

Na Alemanha, um desses centros lançou um Alerta sobre a Vigilância ao Clima alertando para a possibilidade de se espalhar para o norte e leste.

O centro e o norte dos Bálcãs também podem ser atingidos até o fim desta semana e entrando pela próxima.

O calor intenso e uma fase seca devem piorar em países como a Itália.

A OMM cita relatos de calor intenso no Irã e no Paquistão, além do derretimento de glaciares no Quirguistão pelas temperaturas excepcionalmente altas observadas durante a semana. A agência destaca que está monitorando a situação com preocupação.

Estados Unidos

O derretimento e o colapso da geleira constituem riscos a curto prazo e de insegurança hídrica a longo prazo.

 

Menino de 11 anos no Uzbequistão refresca-se da onda de calor.
Unicef/Pirozzi
Menino de 11 anos no Uzbequistão refresca-se da onda de calor.

 

Nos Estados Unidos, um verão muito quente e seco começou no mês passado, de acordo com especialistas dos Centros Nacionais de Informações Ambientais da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica.

Em 2022, o país sofreu nove desastres climáticos e bilhões de dólares em prejuízos, incluindo de danos causados por tornados, granizo e seca extrema.

A temperatura média em 15 de junho foi a mais quente em 128 anos.

O calor dominou grande parte do país no mês passado em estados como Flórida, Louisiana e Mississippi que tiveram um de seus 10 junhos mais quentes já registrados.

O estado do Texas teve seu quinto mês mais quente, enquanto o Alasca viveu o nono junho de calor mais intenso em 98 anos.

Mãe cobre o filho para o proteger do calor em Sindh, no Paquistão.
Pnud/Hira Hashmey
Mãe cobre o filho para o proteger do calor em Sindh, no Paquistão.