Ação de jovens em ruas de Lisboa exige mais reconhecimento de ação climática
BR

29 junho 2022

Sociedade civil contorna sede da Conferência dos Oceanos pedindo mais iniciativas sobre conservação e ecossistemas dos mares; terceiro dia do evento aborda medidas comerciais e poluição plástica.

No terceiro dia da Conferência dos Oceanos, a Altice Arena em Lisboa concentra manifestantes do lado de fora do edifício. 

O culminar da concentração será no final das reuniões com a Marcha Azul pelo Clima, que percorrerá áreas próximas ao local do evento  com 7 mil pessoas, pedindo o reconhecimento de iniciativas e ações para a conservação e ecossistemas, como ação climática. 

Bilaterais 

Dentro do edifício, representantes de governos, agências internacionais e outras entidades continuam a realizar encontros bilaterais.  

De forma oficial, os eventos abordam como minimizar e abordar a acidificação dos oceanos, a desoxigenação e o aquecimento dos mares.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, apresentou dados sobre a pesca sustentável e o acesso dos pescadores artesanais de pequena escala aos recursos e mercados marinhos.

Entre as dezenas de eventos paralelos, o destaque vai para o lançamento do filme Rios Urbanos. O realizador brasileiro Ricardo Gomes foi apoiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, para a produção no Rio Tejo, depois de uma experiência similar no Brasil.

Parcerias 

Nos vários setores, a posição comum é de que é importante ter oceanos e mares saudáveis e sobre a necessidade de se fazer a diferença atuando de imediato  pelos mares.

As reuniões para a quarta-feira envolvem medidas comerciais, diálogos para a conservação marinha, poluição plástica, parcerias público-privadas e cooperação em apoio ao desenvolvimento sustentável da economia azul, principalmente em países menos avançados.

Moçambique foi o último país de língua portuguesa a discursar na plenária do evento na terça-feira.
 

Clique aqui para ver nossa página especial sobre a Conferência dos Oceanos da ONU

 

Posição comum entre os participantes é de que é importante ter oceanos e mares saudáveis
ONU News/Laura Quiñones
Posição comum entre os participantes é de que é importante ter oceanos e mares saudáveis

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud