Guerra na Ucrânia completa 100 dias com 14 milhões de civis forçados a deixar suas casas
BR

3 junho 2022

Coordenador da ONU para Crise na Ucrânia cita “esforços incansáveis” da organização para responder aos impactos arrasadores da crise; em entrevista à ONU News, Amin Awad renova apelo ao fim imediato do conflito e revela que agências humanitárias já começam a se preocupar em como fornecer assistência durante os meses de inverno.  

Esta sexta-feira, 3 de junho, marca os 100 dias de guerra na Ucrânia, com as Nações Unidas renovando o apelo ao fim imediato do conflito. O Coordenador da ONU para a Crise na Ucrânia declarou que a organização continuará com “esforços incansáveis para responder aos impactos devastadores da guerra, de maneira rápida”. 

Amin Awad destacou que “alcançar a paz está acima de tudo” e lembrou que a invasão da Rússia “é uma violação da integridade territorial e da Carta das Nações Unidas”. 

Falta de comida  

Amin Awad em reunião com representantes do governo da Ucrânia.
Foto: Amin Awad
Amin Awad em reunião com representantes do governo da Ucrânia.

Segundo o representante do secretário-geral, “a guerra já teve um peso inaceitável sobre os civis, com a perda de vidas, de casas, de trabalho e de perspectivas”. 

Awad destaca que 14 milhões de ucranianos abandonaram suas casas, a maioria mulheres e crianças. Os que ainda estão na Ucrânia sofrem com a falta de acesso à água e à eletricidade e “milhões não sabem de onde virá a sua próxima refeição.” 

Amin Awad concedeu entrevista à ONU News para marcar os 100 dias da guerra e explicou que as agências humanitárias já estão preocupadas em como fornecer assistência aos civis durante a temporada de inverno, pois a região deverá começar a enfrentar o frio a partir de setembro.  

Efeitos das sanções  

Crianças esperam em um trem na Ucrânia para evacuação para a Polônia no início de abril de 2022.
© UNICEF/Siegfried Modola
Crianças esperam em um trem na Ucrânia para evacuação para a Polônia no início de abril de 2022.

Durante a conversa, o representante da ONU afirmou ter esperanças de que a guerra termine em breve, especialmente por conta do que chamou de “restrições severas” impostas à Rússia.  

Amin Awad afirmou que esta “guerra não tem nenhum sentido”, além de não se tratar de um conflito localizado devido “às implicações globais entre leste e oeste”. 

O Coordenador da ONU para a Crise na Ucrânia disse ainda “ser perigoso ter este tipo de guerra neste momento da história”, especialmente devido ao impacto na vida das pessoas e ao risco iminente de uma situação de fome, já que juntos, Rússia e Ucrânia são responsáveis por 30% da produção agrícola mundial.  

Segundo Amin Awad, nos últimos 100 dias, a ONU forneceu assistência humanitária imediata a 8 milhões de pessoas ao redor da Ucrânia, inclusive para civis que estão sitiados no leste do país.  

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud