Em evento sobre África, Guterres destaca nutrição e segurança alimentar
BR

26 maio 2022

Secretário-geral discursou em segmento de alto nível da Série Diálogo sobre África, liderado pela conselheira dele para o tema, Cristina Duarte; 20% dos africanos estão subnutridos.

A situação da segurança alimentar no continente africano foi o tema de uma mensagem do secretário-geral António Guterres aos participantes da Série Diálogo África, nesta sexta-feira, em Nova Iorque.

O chefe da ONU lembrou que durante muito tempo nutrição, segurança alimentar, conflitos, mudança climática, saúde e ecossistemas foram tratados como assuntos separados. Mas para Guterres, eles estão interconectados.

Muitas crianças no Sudão do Sul só conseguem fazer uma refeição por dia.
Foto: FAO/Stefanie Glinski
Muitas crianças no Sudão do Sul só conseguem fazer uma refeição por dia.

Crianças com problemas de crescimento

Uma vez que o conflito leva à fome, a crise climática amplia conflitos e a insegurança econômica é aumentada pela pandemia e pelas desigualdades.

Ele acredita que esses são problemas sistêmicos que têm se tornado piores.

Os índices de fome, que haviam melhorado entre 2000 e 2016, aumentaram nos últimos anos.

Mais de 281 milhões de africanos, ou um em cada 5, estavam subnutridos em 2020.

E 61 milhões de crianças africanas estão sofrendo com problemas de crescimento, o que impacta a saúde física e mental delas.

As meninas e mulheres são as mais afetadas. Por causa dessa relação de pobreza, fome e conflitos, muitas deixam a escola e jamais retornam.

Famílias deslocadas afetadas pela seca na Etiópia
© Unicef/Zerihun Sewunet
Famílias deslocadas afetadas pela seca na Etiópia

Guerra na Ucrânia

Na semana passada, o chefe da ONU anunciou a quantia de US$ 30 milhões do Fundo Central de Resposta de Emergência para atender a emergências de segurança alimentar e nutrição em países como Níger, Mali, Chade e Burkina Fasso.

Ao citar a guerra na Ucrânia que causou o maior aumento no preço dos alimentos, até hoje, Guterres lembrou que os países africanos estão entre os mais impactados negativamente pelas consequências do conflito.

O secretário-geral convocou um Grupo de Resposta para a Crise Global sobre Alimentos, Energia e Finança, que inclui todas as agências da ONU e as instituições financeiras internacionais.

A tarefa do grupo é fornecer dados, análises e propor soluções.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud