Civis totalizam 90% das vítimas de explosivos em áreas urbanas
BR

25 maio 2022

Estudo mostra 143 incidentes de segurança e morte de 93 trabalhadores humanitários em 2021; conflito na Ucrânia fez disparar preços dos alimentos básicos ameaçando os mais pobres.

A ONU acolhe um debate aberto do Conselho de Segurança sobre a Proteção de Civis em Conflitos Armados.

O Escritório da ONU para os Assuntos Humanitários, Ocha, revelou que confrontos em áreas densamente povoadas aumentaram, de forma acentuada, os riscos de morte e ferimentos no grupo.

Sofrimento

Os civis totalizaram cerca de 90% das vítimas em situações com armas explosivas nessas áreas, em comparação com 10% em outras lugares.

Civis enfrentam altos níveis de insegurança alimentar aguda e precisam de assistência emergencial
Unicef/Mulugeta Ayene
Civis enfrentam altos níveis de insegurança alimentar aguda e precisam de assistência emergencial

 

Além do conflito, a pandemia intensificou o sofrimento humano e prejudicou ainda mais a oferta de serviços de saúde já debilitados.

Estima-se que 3 bilhões de pessoas não tenham sido vacinadas. Muitas vivem em áreas onde conflitos limitam serviços de saúde e a confiança pública.

O diretor da Divisão de Coordenação do Ocha, Ramesh Rajasingham, revelou que pelo menos 143 incidentes de segurança ocorreram em 14 países e territórios  afetados por conflitos.

Nestas situações, 93 trabalhadores humanitários morreram. Os funcionários nacionais totalizam 98% do total de mortos, feridos ou raptados.

Ucrânia

Este ano, a situação na Ucrânia mostra que o cenário está longe de melhorar ao ter provocado 8.089 mortos e feridos. Pelo menos 3.811 faleceram desde 24 de fevereiro, informou a ONU.

Civis fazem protesto em Gaza.
Irin/Ahmed Dalloul
Civis fazem protesto em Gaza.

 

Escolas hospitais, residências e instituições que oferecem serviços básicos para civis continuam sendo os principais alvos da violência.

Um relatório do secretário-geral cita situações em que o uso de armas explosivas aumentou os riscos de morte e ferimentos para civis.

O preço dos alimentos básicos subiu pelo menos 30%, ameaçando os mais pobres e agravando a situação em áreas de conflito na África e no Oriente Médio.

Desinformação

De acordo com a organização, a situação “planta as sementes da instabilidade e agitação política” pelo mundo.

A desinformação também ameaça a ação humanitária, com falsas narrativas divulgadas nas redes sociais.

O diretor-geral do Comitê Internacional da Cruz Vermelha disse que esta é uma preocupação que se adiciona ao cenário de ataques em áreas urbanas e coloca em perigo os trabalhadores do setor e aos civis.

Crises

Apesar de avanços em algumas medidas preventivas, Robert Mardinistragos disse que ataques a civis continuam causando mortes de uma forma indiscriminada e desproporcional.

Ele declarou ter esperança na humanidade comum e que a situação melhore com as decisões do órgão.

De acordo com a ONU, em 2021 houve cerca de 140 milhões de pessoas enfrentando crises ou níveis piores de insegurança alimentar aguda em 24 países. O aumento foi de 41% em relação ao ano anterior.

O conflito e a insegurança desempenharam um papel importante no aumento da fome.

Relatos mencionam ferimento de civis com dispositivos explosivos improvisados detonados em estradas e balas perdidas
Bethany Matta/Irin
Relatos mencionam ferimento de civis com dispositivos explosivos improvisados detonados em estradas e balas perdidas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud