Mais de 6,5 milhões de crianças sírias precisam de ajuda
BR

9 maio 2022

Unicef diz que este é o total mais alto desde que a guerra começou há 11 anos; maioria vive na pobreza extrema, como a pequena Arkan, refugiada de apenas 10 anos, forçada a trabalhar como vendedora ambulante no Líbano; Unicef participa de reunião para doadores em Bruxelas. 

O dia começa cedo para a pequena refugiada síria Arkan, de apenas 10 anos: ela acorda às 6h da manhã e pega uma sacola cheia de pacotes de lenços de papel para vender nas ruas de Trípoli, no Líbano. 

A família da menina fugiu da guerra na Síria para o país vizinho em 2013. O pai delea não pode trabalhar devido a um problema de saúde e a mãe está prestes a ter um bebê. Arkan passa metade do dia trabalhando como vendedora ambulante. Ela é uma das 6,5 milhões de crianças sírias que precisam de ajuda para sobreviver. Um número recorde desde o início da guerra em 2011. 

Sem comida nem remédios  

Anos de conflito deixaram famílias sírias sem casa e sem itens básicos.
Foto: © UNICEF/Delil Souleiman
Anos de conflito deixaram famílias sírias sem casa e sem itens básicos.

Arkan é a mais velha de quatro irmãos. Numa reunião com a Agência da ONU para Refugiados, Acnur, a família contou não ter o suficiente para comer nem dinheiro para comprar medicamentos, sendo que Arkan ganha apenas entre US$ 1 e US$ 2 por dia.  

Segundo o Acnur, a história de Arkan se repete entre milhões de famílias sírias que estão refugiadas em países como Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito.  

Com crises econômicas nas nações que abrigam esses refugiados e os impactos da pandemia de Covid-19, mais e mais sírios entraram para a pobreza, “criando um nível sem precedentes de miséria desde o início da crise síria, há 11 anos”.  

Conferência em Bruxelas  

Crianças estão entre os grupos mais vulneráveis na Síria.
Foto: © UNICEF/Delil Souleiman
Crianças estão entre os grupos mais vulneráveis na Síria.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, revela que “milhões de crianças continuam vivendo com medo e incertezas na Síria e em nações vizinhas.” 

A agência da ONU afirma que mais de 6,5 milhões de crianças na Síria dependem de assistência, sendo este o número mais alto desde o início da crise.  

Somente no primeiro trimestre deste ano, pelo menos 213 crianças foram mortas ou ficaram feridas na Síria. Desde 2011, quando o conflito começou, o Unicef calcula mais de 13 mil menores entre as vítimas.  

Nos países vizinhos, a situação também é difícil devido a instabilidades políticas e fragilidades, sendo que quase 5,8 milhões de crianças dependem de assistência.  

Nesta terça-feira, ocorre em Bruxelas, na Bélgica, uma Conferência sobre Síria e Região.  

O Unicef precisa, com urgência, de US$ 20 milhões para as suas operações humanitárias em prol desta população, sendo que a agência recebeu até o momento menos da metade do valor necessários para os trabalhos em 2022. 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud