Perspectiva Global Reportagens Humanas

Apelo a ação marca Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho BR

Instalação de paineis de energia solar
Foto: Pnud Líbano
Instalação de paineis de energia solar

Apelo a ação marca Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho

Saúde

Comemorações desta quinta-feira coincidem com o Dia Internacional de Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho; ONU ressalta que sucesso no enfrentamento à crise de saúde requer cooperação de governos, empregadores e trabalhadores. 

Neste 28 de abril é assinalado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, sob o lema “Agir em conjunto para construir uma cultura positiva de segurança e saúde”.  

Na data, o movimento sindical marca ainda o Dia Internacional de Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho. 

Experiências  

Pelo menos 1,9 milhão de pessoas já perderam a vida em acidentes de trabalho.
Unsplash/Josue Isai Ramos Figuer
Pelo menos 1,9 milhão de pessoas já perderam a vida em acidentes de trabalho.

Em Genebra, a Organização Internacional do Trabalho, OIT, organiza o debate virtual de alto nível com representantes de governos, empregadores, profissionais e especialistas. O foco é na partilha de experiências e práticas sobre prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. 

As celebrações deste ano pretendem estimular o diálogo social rumo a uma cultura de segurança e saúde em ambiente laboral. 

Foi em 2003 que a agência da ONU começou a observar o Dia Mundial, para dar maior visibilidade ao cuidado com acidentes e doenças ocupacionais. O alvo faz parte da Estratégia Global sobre Segurança e Saúde no Trabalho.  

A série de ações preventivas é inspirada nas conclusões da Conferência Internacional do Trabalho, realizada no mesmo ano. 

Governos e empregadores  

Inovação pode aumentar riscos à segurança no trabalho
© OIT/Jean‐Pierre Pellissier
Inovação pode aumentar riscos à segurança no trabalho

A ONU destaca que a pandemia evidenciou um forte sistema de segurança no trabalho marcado pela participação significativa de governos, empregadores, funcionários, agentes de saúde pública e outros envolvidos em níveis nacional e empresarial. 

O maior efeito foi a proteção dos ambientes ocupacionais, da segurança e da saúde dos trabalhadores. 

A ONU aponta ainda que novos riscos ocupacionais podem ser causados por fatores como inovação técnica, mudança social ou organizacional em campos como novas tecnologias e processos de produção. 

Estas ameaças podem ser agravadas por novas condições laborais, como o aumento da carga de tarefas como resultado da redução de recursos humanos, más condições associadas à migração e empregos na economia informal. 

Medidas adequadas  

Novas ameaças podem surgir do autoemprego, terceirização ou contratos temporários. Estas situações requerem uma melhor compreensão científica e requerem uma melhor percepção, segundo a ONU. 

A organização destaca que várias crises ensinaram que os locais de trabalho podem ser grande importância para prevenir e controlar surtos.  

Por outro lado, medidas adequadas de segurança e saúde ocupacionais podem desempenhar um papel crucial para conter doenças, protegendo os funcionários e a sociedade em geral.  

Para fazer frente à pandemia, a organização defende que é essencial melhorar ainda mais a cooperação entre governos, empregadores e trabalhadores.