Chefe de agência da ONU visita Ucrânia e oferece ajuda com instalações nucleares
BR

29 março 2022

Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, diz que é preciso agir agora para evitar perigo de acidente; plano de segurança e proteção de instalações nucleares cobre 15 reatores em quatro usinas ucranianas. 

O diretor-geral da agência da ONU de energia atômica, Aiea, chegou à Ucrânia, nesta terça-feira, discutir o estado de segurança das usinas nucleares do país. 

Rafael Mariano Grossi se reunirá com integrantes do governo e com especialistas em equipamentos das instalações nucleares após a invasão da Rússia em 24 de fevereiro à Ucrânia.

Pessoas e ambiente

Em comunicado, a agência destaca ainda o objetivo de se evitar o risco de um acidente que possa pôr em perigo as pessoas e o meio ambiente.

A Aiea prevê enviar técnicos a instalações prioritárias, com suprimentos essenciais de segurança e proteção, incluindo ações de monitoramento equipamentos e de emergência.

Complexo de Energia Nuclear de Chernobil
Exploring the Zone/Philip Grossman
Complexo de Energia Nuclear de Chernobil

 

Grossi declarou que “o conflito militar está colocando em perigo sem precedentes” as usinas e outras instalações com material radioativo. 

Para ele, é hora de tomar medidas urgentes para garantir a operação destes locais com segurança, e reduzir o risco de um acidente nuclear “que pode ter um grave impacto na saúde e no meio ambiente na Ucrânia e além”.

Assistência 

A Aiea confirmou ter elaborado “planos concretos e detalhados para assistência de segurança e proteção às instalações nucleares da Ucrânia, que incluem 15 reatores em quatro usinas.”

A central nuclear de Chernobil é uma delas, contendo instalações de gerenciamento de resíduos radioativos após o acidente de 1986.

Milhares de ucranianos cruzam as fronteiras com a Polônia.
Foto: © IOM/Muse Mohammed
Milhares de ucranianos cruzam as fronteiras com a Polônia.

 

A assistência técnica da Aiea cobrirá “a continuação das atividades da agência para proteger as atividades na Ucrânia de acordo com o mandato de não-proliferação”.

Grossi disse que a Ucrânia solicitou a assistência da agência para oferecer segurança e proteção que agora começará a ser dada.

Segurança e proteção 

O chefe da Aiea explicou que a Ucrânia tem um dos maiores programas de energia nuclear da Europa e a presença da Aiea será “é de suma importância onde for necessária para garantir segurança e proteção”. 

Grossi revelou preocupação com a piora da situação de segurança e a proteção das instalações nucleares da Ucrânia desde o início do conflito, quando expressou “o compromisso e a prontidão de ajudar a garantir que sejam cumpridos os sete pilares indispensáveis para garantir a segurança e a proteção” das instalações nucleares ucranianas.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud