ONU pede cessar-fogo de longo prazo na Etiópia após anúncio de trégua humanitária  BR

Veículos das Nações Unidas na região de Tigray, norte da Etiópia
© UNICEF/Christine Nesbitt
Veículos das Nações Unidas na região de Tigray, norte da Etiópia

ONU pede cessar-fogo de longo prazo na Etiópia após anúncio de trégua humanitária 

Ajuda humanitária

Secretário-geral pede que governo federal e rebeldes tomem medidas necessárias para acabar com conflito; restrições administrativas e de segurança impediam acesso de agências à área do nordeste desde meados de dezembro.

O secretário-geral disse estar satisfeito com o anúncio de uma trégua humanitária indefinida, com efeito imediato, feito pelo Governo da Etiópia. 

Em nota emitida pelo porta-voz, António Guterres elogiou ainda o compromisso das autoridades da região de Tigray, no norte do país.

Desenvolvimentos positivos

O chefe da ONU sublinha que o conflito na Etiópia já causou “um sofrimento terrível” a milhões de pessoas nas áreas de  Afar, Amhara, Tigray, Benishangul Gumz e Oromia. Para Guterres, os “desenvolvimentos positivos” devem agora traduzir-se em melhoras imediatas no terreno.

Crianças deslocadas coletam água em Mekelle, capital da região de Tigray, na Etiópia.
© UNICEF/ Esiey Leul
Crianças deslocadas coletam água em Mekelle, capital da região de Tigray, na Etiópia.

 

O comunicado do  governo etíope relata que a medida foi tomada “para otimizar o sucesso da trégua humanitária”. Estima-se que acima de 400 mil pessoas vivam como deslocadas na província do nordeste, cujo acesso  estava bloqueado há meses. 

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, conta que o acesso à área estava suspendo desde dezembro devido a restrições administrativas e de segurança. As ações das agências de auxílio carecem de fundos e suprimentos.

Quase 40% dos 6 milhões de habitantes de Tigray enfrentam “uma extrema falta de comida”. A escassez de combustível chegou a levar alguns funcionários humanitários a entregar medicamentos e outros suprimentos essenciais a pé.

Alimentos

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, estima que 9 milhões de pessoas precisem de ajuda alimentar em Afar, Amhara e Tigray.

Alimentos doados pelo PMA são descarregados de um caminhão em Zelazle, no norte de Tigray.
PMA/Claire Nevill
Alimentos doados pelo PMA são descarregados de um caminhão em Zelazle, no norte de Tigray.

 

Esta semana, a agência destacou que  as operações do PMA na região foram interrompidas. No terreno, as atividades limitavam-se à  entrega de combustível de emergência quando existe menos de 1% dos estoques de alimentos necessários.

Antes do novo anúncio, um “cessar-fogo unilateral” foi declarado em Tigray em junho do ano passado.
“Momento encorajador”.

O secretário-geral reitera seu apelo e favor da restauração dos serviços públicos na área, incluindo bancos, eletricidade e telecomunicações. 

Guterres  pede ainda que todos os lados do conflito habilitem e facilitem proativamente a prestação de assistência humanitária necessária nas áreas afetadas. 
A nota do secretário-geral termina com um apelo a todas as partes em conflito a aproveitarem o que chama de “momento encorajador” para tomar as medidas necessárias para um cessar-fogo de longo prazo.