No Dia do Direito à Verdade, ONU fala da importância de reparar vítimas
BR

24 março 2022

Secretário-geral António Guterres afirma que data internacional mostra que a verdade é uma luz poderosa sobre violações de direitos humanos que os perpetradores preferiam manter escondidas. 

O Dia Internacional para o Direito à Verdade sobre Violações de Direitos Humanos e para Dignidade das Vítimas é celebrado nesta quinta-feira, 24 de março. Em mensagem, o secretário-geral da ONU, António Guterres, ressalta que a data é um lembrete de que a “verdade é uma luz poderosa”.  

Segundo ele, essa luz “evidencia violações que os autores preferiam manter escondidas”, revelando ainda um “caminho para a paz, justiça e reparação das vítimas”. 

Mundo sombrio com danos, controle e morte  

Associação Equis luta pelos direitos das mulheres que estão na prisão.
EQUIS Justicia para las mujeres/Scopio
Associação Equis luta pelos direitos das mulheres que estão na prisão.

O chefe da ONU lembra que este dia internacional também reforça que os países precisam cumprir suas obrigações diante da lei internacional. Outro ponto citado por Guterres é conhecer as causas das violações de direitos humanos, para que possam ser prevenidas.  

O secretário-geral afirma que “quando a luz da verdade é extinta, as sociedades entram num mundo sombrio de ameaças, mentiras e desconfiança”. Com isso, aqueles que violam os direitos humanos, com a intenção de “causar danos, controlar e até matar”, acabam sendo encorajados para “agir com impunidade”.  

Inspiração  

A data presta homenagem a Monsenhor Óscar Arnulfo Romero, que foi assassinado em 24 de março de 1980
DR
A data presta homenagem a Monsenhor Óscar Arnulfo Romero, que foi assassinado em 24 de março de 1980

António Guterres declara ainda que o Dia para o Direito à Verdade é uma data importante para renovar o compromisso “em levantar o veu das violações de direitos humanos e ajudar as sociedades a curar divisões, se reconciliar em paz e proteger a saúde, a dignidade e as oportunidades para todas as pessoas.” 

O Dia Internacional presta tributo ao monsenhor Óscar Arnulfo Romero, assassinado em 24 de março de 1980. Ele era bastante engajado em denunciar violações em El Salvador e falar abertamente sobre injustiça e desigualdades.  

Guterres aproveita a data para mencionar uma famosa frase do arcebispo latino-americano, que costumava dizer que “os que têm voz precisam falar por aqueles sem voz”.  

O secretário-geral espera que a coragem dele na luta pela verdade sirva de inspiração para a proteção dos direitos humanos ao redor do mundo.  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud