Comércio global deve desacelerar, após recorde de US$ 28,5 trilhões em 2021
BR

18 fevereiro 2022

Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento explica que atrasos na cadeia de suprimento global estão no centro da redução esperada para 2022; pacotes de estímulo econômico durante pandemia impulsionaram resultado do último ano; novos acordos regionais podem afetar comércio mundial.

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, anunciou que o comércio mundial movimentou cerca de US$ 28,5 trilhões no ano passado. O número representa um aumento de quase 13% em relação ao nível pré-pandemia de 2019.

Mesmo com o recorde em 2021, as previsões dos economistas da ONU apontam que uma nova desaceleração deve acontecer este ano por diversas razões, incluindo atrasos contínuos nas cadeias de suprimentos globais.

Sucesso do tratado é considerado uma esperança para africanos vivendo na pobreza
Unsplash/Maksym Kaharlytskyi
Sucesso do tratado é considerado uma esperança para africanos vivendo na pobreza

Tendências

De acordo com os dados da Unctad, a tendência positiva para o comércio internacional em 2021 foi em grande parte resultado do aumento nos preços das commodities, subsidiando restrições causadas pela pandemia e uma forte recuperação na demanda devido a pacotes de estímulo econômico.

O escritório da ONU aponta que o setor de serviços retornou aos níveis pré-pandemia no quarto trimestre de 2021. Já o comércio de bens permaneceu forte, aumentando quase US$ 200 bilhões e fechando em cerca de US$ 5,8 trilhões, batendo novo recorde.

A Unctad também observou que as exportações das nações de baixa renda superaram as dos países mais ricos no último trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período em 2020. 

O crescimento do comércio Sul-Sul também ficou acima da média mundial no final de 2021, com um aumento de cerca de 32%.

Segundo a Unctad, os resultados regionais de crescimento do comércio no último trimestre permaneceram muito forte, embora tenha sido menor na Europa, América do Norte e leste da Ásia. As regiões exportadoras de insumos se saíram melhor, com o aumento dos preços das commodities.

Previsões

Sobre as previsões para este ano, o escritório da ONU afirma que os impulsionadores econômicos do ano passado provavelmente serão menores. A Unctad explica que “o crescimento do comércio continuará desacelerando durante o primeiro trimestre de 2022”. O escritório cita preocupações com a inflação persistente nos Estados Unidos e com o setor imobiliário da China.

As cadeias de suprimentos globais, elementos-chave no comércio mundial, também continuarão enfrentando pressões negativas criadas pela pandemia de Covid-19.
Isso ocorre apesar dos esforços do setor marítimo de frente em melhorar a confiabilidade e o gerenciamento de riscos.

Acordo comercial

A Unctad também avalia que o comércio global pode ser afetado por um novo acordo comercial entre as economias da região do Leste Asiático e do Pacífico, a Parceria Econômica Regional Abrangente, Rcep. 

O bloco entrou em vigor no primeiro dia do ano e deve aumentar o comércio entre os membros, “desviando o comércio de países não membros”.

O escritório das Nações Unidas adiciona que a Área de Livre Comércio Continental Africana também pode resultar em mudanças na dinâmica conhecida.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud