OMS aponta queda no uso de tabaco no mundo e pede mais investimentos aos países
BR

16 novembro 2021

Quarto relatório da Organização Mundial da Saúde sobre o tema indica que número de usuários do produto para 1,3 bilhão contra 1,32 bilhão em 2015; redução deve ser de 1,27 bilhão em 2025; América foi a região com queda mais acentuada no uso.

A Organização Mundial da Saúde celebrou a notícia de que o número de usuários de tabaco no mundo está baixando. A informação consta do Relatório Global sobre Tendência e Prevalência de Tabaco 2000-2025. Mas para a agência da ONU, a tendência só será mantida se os países investirem mais no combate ao produto. Doenças causadas pelo uso de tabaco matam 8 milhões de pessoas por ano.

1 bilhão de pessoas no mundo são fumantes e o tabaco mata 8 milhões de pessoas por ano
© Unicef/Shehzad Noorani
1 bilhão de pessoas no mundo são fumantes e o tabaco mata 8 milhões de pessoas por ano

Empresas

O número de usuários é de 1,3 bilhão contra 1,32 bilhão em 2015. A OMS afirma que 60 países estão cumprindo as metas globais voluntárias para reduzir em 30% o uso de tabaco entre 2010 e 2025. Há dois anos, apenas 32 nações estavam nesta condição.

Milhões de pessoas foram salvas por causa destas medidas, que integram a Convenção Quadro sobre Controle de Tabaco, Fctc na sigla em inglês, e Mpower. Para a agência da ONU, esta é uma grande conquista na luta contra a epidemia de tabaco.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que os resultados são animadores, ‘mas ainda há um longo caminho a percorrer e a empresas de tabaco devem continuar usando todos os recursos para justificar os lucros gigantescos que tiram de suas mercadorias letais.’

De acordo com a OMS, a epidemia do tabaco é uma das maiores ameaças à saúde pública que o mundo já enfrentou
OMS/Marcelo Moreno
De acordo com a OMS, a epidemia do tabaco é uma das maiores ameaças à saúde pública que o mundo já enfrentou

Obrigação moral

Segundo Tedros, todos os países devem investir para salvar o maior número de vidas. Outras medidas da Convenção Quadro precisam ser implementadas para reduzir o número de pessoas sob risco de ficarem doentes ou morrerem de doenças relacionadas ao tabaco.

O diretor do Departamento de Promoção da Saúde da OMS, Ruediger Krech afirma que o mundo tem uma obrigação moral de avançar de forma mais agressiva para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS, e que o controle de tabaco funciona.

A OMS revela que investir US$ 1,68 per capita todos os anos no controle de tabaco como linhas de apoio para pessoas que querem parar de fumar, grupos de suporte por telefone celular e mensagens de texto, além de aconselhamentos e outras medidas pode ajudar 152 milhões de usuários a abandonar o tabaco até 2030. Com isso, milhões de vidas podem ser salvas, o que representa um crescimento econômico a longo prazo.

Uso do tabaco torna sintomas de doenças respiratórias mais graves
OMS
Uso do tabaco torna sintomas de doenças respiratórias mais graves

Mulheres e homens

A agência criou o Consórcio pelo Fim do Tabaco, que reúne países e parceiros na missão de levar ao fim do uso do produto.

O relatório global sobre as tendências e prevalência do uso de tabaco 2000-2025 revela que em 2020, 22,3% da população global usavam o produto. Deste total, 36,7% eram homens e 7,8% mulheres.

Desde o último documento, divulgado em 2019, 60 países passaram a cumprir as metas de redução de tabaco até 2025. E duas regiões: África e Sudeste da Àsia se juntaram às Américas para alcançar o objetivo de 30% de redução.

Quase 38 milhões de crianças entre 13 e 15 anos utilizam tabaco, os meninos representam quase o dobro dos fumantes. Na maioria dos países, é ilegal para menores comprarem produtos derivados de tabaco.

No ano passado, o número de mulheres usando o tabaco era de 231 milhões. O grupo de maior prevalência é de 55 a 64 anos.

Menina no Maláui ajuda sua família no cultivo de tabaco
OIT/Crozet, M.
Menina no Maláui ajuda sua família no cultivo de tabaco

Américas e África

As Américas, de todas as regiões da OMS, tiveram a maior queda em prevalência. A média de uso passou de 21% em 2010 para 16% em 2020.

A região com a média mais baixa de uso é a África de 10% em 2020 contra 15% em 2010. Na Europa, 18% das mulheres usam o produto, mais que em qualquer outra região. 

A tendência na região sudeste é de alta com 432 milhões de usuários ou 29% da população. Mas a região também registra avanços e deve alcançar metas de redução similares à da Europa e ao do Pacífico Ocidental até 2025. Nesta última região, 45% dos homens fumam.

Os dados do relatório se baseiam em 1728 pesquisas nacionais entre 1990 e 2020. Dentre as medidas mais frequentes para o combate ao tabaco estão a informação sobre os danos causados, aumento de impostos sobre a venda de produtos derivados de tabaco, advertências nos maços de cigarro e outras embalagens, e proibição de propaganda e comerciais.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud