Vendas de carros elétricos na Europa já representam 10% da cota de mercado
BR

15 novembro 2021

Países apoiam regulamentação, proposta pela ONU, para que fabricantes garantam veículos com baterias muito mais duradouras; durante a COP26, 24 países e indústrias firmaram acordo para acabar com a venda de carros movidos a combustíveis até 2040.  

A venda de veículos elétricos está em alta na China, na América do Norte e na Europa, sendo que 3 milhões de unidades foram compradas em 2020, representando 4,6% do total de transações do mercado automotivo.

Os dados são da Comissão Econômica da ONU para a Europa, Unece, que revela ainda que as vendas de carros elétricos no continente europeu já representam 10% da fatia de mercado. Mas previsões da Agência Internacional de Energia apontam que esta porcentagem poderá subir para 19% até 2025.  

Futuro com veículos sem emissões de CO2 

Ônibus elétrico é carregado em terminal no Chile. Processo dura 2,5 horas.
Foto: IMF/Tamara Merino
Ônibus elétrico é carregado em terminal no Chile. Processo dura 2,5 horas.

Durante a Conferência da ONU sobre Mudança Climática, COP26, 24 países entres eles Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia, e várias fabricantes de carros como Ford, Mercedes e Volvo firmaram um acordo para acabar com a venda de veículos movidos a combustíveis fósseis até 2040.  

Apesar de tudo, a Unece aponta que os consumidores ainda têm muitas dúvidas sobre a performance das baterias dos carros elétricos ao longo do tempo e se o investimento vale mesmo a pena.  

Mas a Comissão acredita que isso poderá mudar graças a uma proposta de regulamentação para garantir uma duração mínima das baterias dos carros elétricos e híbridos.  

Baterias mais duradouras  

Carro elétrico exposto na COP que aconteceu na Polônia em 2018.
ONU News/Yasmina Guerda
Carro elétrico exposto na COP que aconteceu na Polônia em 2018.

Regulamentar a questão da degradação das baterias é a primeira iniciativa internacional do tipo, que já recebeu o apoio de nações como Canadá, China, Japão, Reino Unido, Estados Unidos e do bloco regional União Europeia.  

A proposta prevê que as fabricantes garantam que as baterias dos veículos elétricos percam apenas 20% da sua capacidade inicial nos primeiros cinco anos ou quando o carro completar 100 mil km.  

A médio prazo, a ideia é de que as baterias percam menos de 30% da capacidade em oito anos ou com 160 mil km rodados.  

A Unece explica que a medida ajudará a evitar a utilização de baterias de baixa qualidade, garantindo apenas a instalação daquelas com alta durabilidade.  

Segundo a Comissão da ONU, a medida é crucial para aumentar a confiança do consumidor e melhorar a performance dos veículos elétricos.  

A proposta será votada em março de 2022 e os países que endossarem a iniciativa deverão incluir a medida nas legislações nacionais e definir um prazo para a mudança acontecer, mas a Unece acredita que os primeiros resultados poderão ser vistos já em 2023.  

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud