Número de crianças não vacinadas contra sarampo atinge recorde de 20 anos BR

Número de não vacinados corresponde a 3 milhões a mais que em 2019
Unicef/Mariame Diefaga
Número de não vacinados corresponde a 3 milhões a mais que em 2019

Número de crianças não vacinadas contra sarampo atinge recorde de 20 anos

Saúde

Relatório destaca que mais de 22 milhões perderam a primeira dose da vacina; número está 3 milhões acima que do ano anterior; nível global de menores que receberam a segunda dose é 25% menor que necessário.

Um novo relatório alerta que o progresso alcançado em nível global no combate ao sarampo está ameaçado em meio à crise da pandemia.

O documento destaca que mais de 22 milhões de crianças perderam a primeira dose da vacina. O número de não vacinados, o mais alto em 20 anos, corresponde a 3 milhões a mais que em 2019.

Vigilância

No entanto, o total de casos notificados diminuiu em mais de 80% no mesmo período, segundo o estudo publicado esta quarta-feira em Atlanta, nos Estados Unidos, e em Genebra, na Suíça.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e o Centro para o Controle e Prevenção de Doenças, CDC, destacam “graves lacunas na vigilância”. A situação cria “condições perigosas para que ocorram surtos” e coloca vidas em risco.

A cobertura da primeira dose caiu e apenas 70% das crianças receberam a segunda dose
Unicef/Mahmood Fadhel
A cobertura da primeira dose caiu e apenas 70% das crianças receberam a segunda dose

 

Com a pandemia, a vigilância do sarampo se deteriorou e o número de amostras enviadas para testes laboratoriais foi o mais baixo em mais de uma década.

Entre as razões para a situação estão o fraco monitoramento, a redução de testes realizados e notificações que limitam a capacidade de se prevenir surtos da doença altamente infecciosa.

Duas doses

Casos registrados em 26 países representaram 84% do total de notificações em 2020. A publicação adverte que a redução relatada não deve dissimular o risco crescente a crianças em todo o mundo.

A realização de testes e a garantia de duas doses da vacina são um indicador-chave do progresso para erradicar a doença, e da capacidade de prevenir a propagação do vírus.

A cobertura da primeira dose caiu e apenas 70% das crianças receberam a segunda. A proporção está bem abaixo dos 95% necessários para que as comunidades sejam protegidas da propagação do vírus.

Campanha de imunização contra o sarampo está atrasada em vários países.
OMS
Campanha de imunização contra o sarampo está atrasada em vários países.

 

Uma das principais recomendações é que os países reforcem os sistemas de imunização e vigilância para reduzir os riscos.

Vacina

Com a pandemia, houve menos busca pela vacina, apesar de medidas como uso de máscara, lavagem das mãos, distanciamento e outros cuidados.

A OMS sugere que os países priorizem a vacinação.

O sarampo é um dos vírus humanos mais contagiosos, mas é quase totalmente evitável por meio da imunização, que já evitou mais de 30 milhões de mortes nas últimas duas décadas em todo o mundo.

Parceria

Estima-se que os óbitos por sarampo caíram em pouco mais de 1 milhão em 2000 para 60.700 em 2020. O número de casos foi de 7,5 milhões em todo o mundo.

A transmissão nas comunidades indica deficiências na cobertura de imunização, mas também que os serviços de saúde vitais não estão alcançando as populações de maior risco.

A Iniciativa do Sarampo e Rubéola atua para eduzir o risco de surtos explosivos e mortes junta a OMS, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, o CDC, a Cruz Vermelha norte-americana, Fundação das Nações Unidas e a Aliança Global Gavi de Vacinas.

Um menino é vacinado contra sarampo e rubéola durante uma campanha nacional de vacinação em Bangladesh
Unicef/Jannatul Mawa
Um menino é vacinado contra sarampo e rubéola durante uma campanha nacional de vacinação em Bangladesh