Acnur celebra medidas para facilitar acesso entre Paquistão e Afeganistão
BR

27 outubro 2021

Alto-comissariado das Nações Unidas para os Refugiados prevê que menos afegãos sejam contrabandeados e traficados na fronteira; agência confirma 700 mil afegãos vivendo como deslocados; Irã e Paquistão recebem mais de 90% dos refugiados.

O porta-voz do alto-comissariado das Nações Unidas para os refugiados, Acnur, Babar Baloch, falou sobre a situação da fronteira entre Paquistão e Afeganistão em coletiva de imprensa em Genebra.

O representante celebrou o recente anúncio das autoridades paquistanesas de facilitar o movimento de pessoas e bens através dos pontos oficiais de fronteira com o Afeganistão. 

Família volta para casa após receber alimentos distribuídos pelo PMA em Herat, Afeganistão.
Foto: © WFP/Marco Di Lauro
Família volta para casa após receber alimentos distribuídos pelo PMA em Herat, Afeganistão.

Segurança

Baloch explicou que a iniciativa veio após relatos que interrupções afetaram o comércio e a movimentação de civis afegãos em busca de segurança no limite entre os dois países.

Ele acrescentou que as pausas deixaram muitos afegãos, incluindo mulheres, crianças e aqueles que precisam de atenção médica urgente, presos por semanas na área, já que a fronteira permaneceu fechada nas últimas três semanas.

O porta-voz ainda destacou que as novas medidas ajudam a reduzir os riscos de que afegãos sejam vítimas de contrabandistas e traficantes de pessoas, o que pode ter “consequências mortais.”

Somente no Afeganistão, entre 2019 e 2020, foram mortas ou feridas cerca de 5,770 crianças em confrontos e conflitos
© Unicef/Monique Awad
Somente no Afeganistão, entre 2019 e 2020, foram mortas ou feridas cerca de 5,770 crianças em confrontos e conflitos

Cenário

De acordo com o representante da agência da ONU, quase 700 mil afegãos foram deslocados pelo conflito este ano, com cerca de 3,5 milhões de pessoas em movimentação em todo o país. 

O Irã e o Paquistão, juntos, hospedam quase 90% de todos os refugiados do Afeganistão e os têm acolhido por mais de quatro décadas. 

Baloch destaca que o aumento do apoio internacional é urgentemente necessário para permitir a proteção contínua de mais de 1,4 milhão de refugiados afegãos registrados no Paquistão e quase 800 mil buscando abrigo no Irã. 

O representante do Acnur também afirmou que os países hospedam uma grande população de afegãos não registrados e pediu aos demais vizinhos do que continuem a estender proteção para aqueles que procuram segurança.

Ajuda humanitária

No Afeganistão, a agência fornece auxílio humanitário aos deslocados. Neste ano, quase meio milhão de pessoas tiveram abrigo de emergência, alimentação, dinheiro para os mais vulneráveis e outros itens de ajuda.

A entidade também está organizando carregamentos aéreos com suprimentos humanitários para o Afeganistão, priorizando recursos que são necessários com urgência antes dos meses de inverno

Babar Baloch também relatou que o Acnur continua a trabalhar nas comunidades que recebem ex-refugiados, investindo em infraestrutura, educação, saúde, meios de subsistência e abrigo.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud