Investimento estrangeiro direto no primeiro semestre foi mais forte do que o esperado
BR

19 outubro 2021

Segundo a Unctad, fluxos foram de US$ 852 bilhões, recuperando mais de 70% das perdas geradas pela pandemia de Covid-19; mas diretor de investimentos da entidade alerta: incertezas ainda são muitas. 

Os fluxos globais de investimento estrangeiro direto, IED,  no primeiro semestre de 2021 foram de US$ 852 bilhões. Os dados são da Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, em relatório apresentado esta terça-feira e Genebra. 

Para a Unctad, o volume foi mais forte do que o esperado e o aumento dos investimentos foi suficiente para recuperar mais de 70% das perdas induzidas pela pandemia de Covid-19 em 2020. 

Momento ainda é de incertezas  

Sede da Unctad em Genebra.
Foto: Unctad
Sede da Unctad em Genebra.

Ao mesmo tempo, o diretor de Investimentos da Unctad, James Zhan, declarou que a rápida recuperação do investimento estrangeiro direto “mascara a crescente divergência entre países desenvolvidos e em desenvolvimento”. Segundo ele, as incertezas continuam sendo muitas.  

Nas economias desenvolvidas, o IED alcançou a marca de US$ 424 bilhões no primeiro semestre deste ano – três vezes maior do que os níveis excepcionalmente baixos de 2020.  

Ásia em destaque  

Grandes projetos de infraestrutura como esta barragem no Cazaquistão, geralmente exigem investimento estrangeiro
Banco Mundial/Shynar Jetpissova
Grandes projetos de infraestrutura como esta barragem no Cazaquistão, geralmente exigem investimento estrangeiro

Segundo a Unctad, os fluxos de IED na Europa aumentaram de forma considerável, ficando em média apenas 5% menor do que os níveis da pré-pandemia. Nos Estados Unidos, as entradas subiram 90%, graças ao aumento de fusões e aquisições entre fronteiras.  

Os países em desenvolvimento também tiveram alta nos fluxos de IED, totalizando US$ 427 bilhões no primeiro semestre, com aceleração rápida principalmente no leste e sudeste asiático.  

A Unctad destaca também que a confiança dos investidores está maior principalmente no setor de infraestruturas, graças a condições favoráveis de financiamento a longo prazo, pacotes de estímulos e programas para investimentos internacionais.  

Setores verdes da economia  

Energia renovável é setor estratégico para América Latina
Foto: ADB/Patarapol Tularak
Energia renovável é setor estratégico para América Latina

Por outro lado, a confiança do investidor na indústria e nas cadeias de valor global continua instável, com queda no total de novos projetos nos setores da eletrônica, de automóveis e dos químicos.  

A Unctad destaca ainda que também continua “frágil” a recuperação dos investimentos em setores relevantes aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS. Os investimentos em setores “verde” aumentaram 60%, devido a um pequeno número de grandes acordos no setor energético.  

O relatório descreve um cenário positivo, com a continuação da recuperação dos fluxos de investimento estrangeiro direto para níveis da pré-pandemia. Ao mesmo tempo, a Unctad lembra que a duração da crise de saúde, o ritmo da vacinação, especialmente em países em desenvolvimento, e a rapidez da implementação de estímulos para investimentos no setor de infraestrutura continuam sendo grandes fatores de incertezas.  

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud