Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência  BR

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência
ONU/Ryan Brown
Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência 

Paz e segurança

Líder e filosofo indiano Mahatma Gandhi completaria 152 anos; Nações Unidas defendem que princípio ainda é relevante e deve ser acompanhado por uma cultura de paz, tolerância e compreensão. 

As Nações Unidas marcam este 2 de outubro o Dia Internacional da Não-Violência. Se fosse vivo, o dirigente do movimento pela independência indiano, Mahatma Gandhi, completaria 152 anos. 

Para o secretário-geral, o pioneiro da filosofia e da estratégia da não-violência é “um dos gigantes do século 20, um ícone global da paz e defensor dos mais vulneráveis”, cuja visão engloba as metas da organização. 

Verdade 

Entre as frases mais famosas do líder indiano está a descrição da pobreza como “a pior forma de violência.” Ele também defendeu que a não-violência é uma arma forte, que se combinada à verdade, “são inseparáveis ​​e se pressupõem uma à outra.” 

Escultura da Não Violência, de Carl Fredrik Reuterswärd, na sede da ONU em Nova Iorque
Foto: ONU
Escultura da Não Violência, de Carl Fredrik Reuterswärd, na sede da ONU em Nova Iorque

 

Mahatma Gandhi disse que a humanidade nunca será forte o suficiente para ser totalmente não-violenta em pensamentos, palavras e ações. Mas deve “manter a não-violência como nosso objetivo e fazer um forte progresso nesse sentido”. 

Para a ONU, Mahatma Gandhi transcende os limites da raça, religião e em nível de Estado ou nação. 

O legado do também filósofo é celebrado “não apenas por sua adesão apaixonada à prática da não-violência e do humanismo supremo, mas como a referência sobre a qual homens e mulheres são testados”.  

As áreas em que o pensamento se pode aplicar envolvem a vida pública, ideias políticas e governamentais, além das esperanças e dos desejos para o planeta. 

Educação e conscientização 

Foi uma resolução aprovada na Assembleia Geral em 15 de junho de 2007 que estabeleceu a comemoração da data. O objetivo principal é “divulgar a mensagem da não-violência, inclusive por meio da educação e da conscientização pública”.  

O órgão reafirmou “a relevância universal do princípio da não-violência” e ainda o desejo “de se assegurar uma cultura de paz, tolerância e compreensão”.