Presidente de Cabo Verde em entrevista: “sou ambicioso em relação à Cplp”
BR

24 setembro 2021

Jorge Carlos Fonseca encerra mandato após 10 anos na liderança cabo-verdiana; em conversa, ele menciona o legado deixado, que inclui o acordo de mobilidade aprovado pelos países lusófonos.

Nesta entrevista à ONU News, o presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, deixa seu adeus a dois mandatos cumpridos “com muita paixão e dedicação”. Ele esteve 10 anos na liderança do país lusófono e fez o último discurso na 76ª Assembleia Geral.

Segundo ele, pertencer à Comunidade de Países de Língua Portuguesa, Cplp, “só tem sentido podendo ver circular livremente os cidadãos” de nações como Angola, Brasil, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé, Portugal, Timor-Leste.

Eleito em 2011, o chefe de Estado de Cabo Verde diz sair do cargo em novembro deste ano satisfeito por “contribuir para a defesa da liberdade” no país considerado um exemplo de democracia em África.    

Jorge Carlos Fonseca comenta seu papel como impulsionador da criação e das negociações sobre o acordo de mobilidade na Cplp. O país assumiu a presidência rotativa do bloco entre 2018-21.

Para o presidente este “era um pressuposto indispensável, essencial e basilar” para caminhar para uma identidade comum num bloco “que seja mais de povos e cidadãos, do que uma comunidade que seja só dos Estados.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud