Guterres diz que avanços globais “não podem ser ofuscados por conflitos nucleares”
BR

26 setembro 2021

Em celebração ao Dia Internacional para a Eliminação Total das Armas Nucleares, secretário-geral da ONU afirma que o mundo está diante do maior risco nuclear das últimas quatro décadas.

As Nações Unidas marcam o Dia Internacional para a Eliminação Total das Armas Nucleares em 26 de setembro.

Sobre a data, o secretário-geral, António Guterres, afirma que esforços para o impulsionar o desenvolvimento e o combate a pandemia de Covid-19 não podem ser ofuscados pelos conflitos nucleares.

Para António Guterres, é preciso um multilateralismo renovado para enfrentar os desafios
ONU/Violaine Martin
Para António Guterres, é preciso um multilateralismo renovado para enfrentar os desafios

Riscos

Em mensagem, o chefe da ONU reforça que vivemos o momento de maior risco nuclear dos últimos quarenta anos. Ele afirma que ainda há mais de 14 mil armas nucleares no mundo.

Embora o número venha diminuindo nas últimas décadas, Guterres diz que diversos países estão aumentando o poder bélico qualitativamente. O secretário-geral menciona sinais preocupantes de uma “nova corrida armamentista”.

Equipe da ONU realiza inspeções destinadas a descartar a capacidade de armas químicas, biológicas e nucleares do Iraque. (1991)
Foto ONU/P.
Equipe da ONU realiza inspeções destinadas a descartar a capacidade de armas químicas, biológicas e nucleares do Iraque. (1991)

Histórico

As Nações Unidas têm o desarmamento nuclear como um de seus objetivos mais antigos.

A organização foi palco de importantes avanços para a eliminação das armas desde a primeira resolução da Assembleia Geral.

O secretário-geral da ONU destaca que sessenta e seis anos depois, ainda não foi possível concluir o desarmamento.

Assim, Guterres afirma que esse não é um desafio superado, porém avalia que novos avanços vêm sendo implementados.

Mais de 140 países adotaram uma declaração para melhorar a segurança nuclear.
Aiea/Dean Calma
Mais de 140 países adotaram uma declaração para melhorar a segurança nuclear.

Ações

Ao citar o que chamou de ‘sinais de esperança’, ele mencionou a extensão do acordo entre Rússia e Estados Unidos, o novo Start, e o Tratado sobre a Não-proliferação de Armas Nucleares.

O líder das Nações Unidas lembra que é responsabilidade dos Estados-membros seguir construindo em cima desses avanços.

Os documentos, segundo Guterres, abrem uma ‘janela de oportunidades’ para todos os países tomarem iniciativas tangíveis para prevenir o uso e eliminar essas armas de ‘uma vez por todas’.

Agenda

Um encontro de alto-nível foi agendado, no dia 28 de setembro, para debater a ameaça e a necessidade de sua eliminação.

Estados-membros devem debater a ameaça e a necessidade de sua eliminação.

Em convite, o ex-presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, encorajou a participação de representantes de todo o mundo.

A reunião acontece um dia após o fechamento dos debates gerais da Assembleia Geral, que neste ano trouxe mais de 100 chefes de Estado e de governo à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud