Guterres faz apelo aos líderes globais para acabar com “Seis Grandes Divisões” BR

Secretário-Geral da ONU, António Guterres, discursa na abertura da 76ª sessão de alto nível da Assembleia Geral
Foto: UN Photo/Cia Pak
Secretário-Geral da ONU, António Guterres, discursa na abertura da 76ª sessão de alto nível da Assembleia Geral

Guterres faz apelo aos líderes globais para acabar com “Seis Grandes Divisões”

Assuntos da ONU

Ao abrir os debates de alto nível da 76ª Assembleia Geral da ONU, secretário-geral António Guterres afirmou que desigualdade na distribuição de vacinas chega a ser obscena; chefe das Nações Unidas disse que mundo precisa despertar da beira do abismo.  

“Estou aqui para tocar o alarme. O mundo precisa acordar” – foi assim que o secretário-geral da ONU iniciou seu discurso na abertura da 76ª sessão de alto nível da Assembleia Geral, esta terça-feira, 21 de setembro, em Nova Iorque. 

No palanque do órgão, António Guterres enviou uma mensagem aos líderes globais, lamentando que o mundo “nunca esteve tão ameaçado nem tão dividido”.  

Situação “obscena” com vacinas da Covid 

Assembleia Geral da ONU, conhecida como UNGA, na sigla em inglês .
Foto: UN Photo/JC McIlwaine
Assembleia Geral da ONU, conhecida como UNGA, na sigla em inglês .

O chefe da ONU mencionou fotografias que mostram vacinas contra a Covid-19 no lixo, com prazo de validade vencido e criticou a desigualdade na distribuição dos imunizantes. 

Guterres lembrou que enquanto a maioria dos países ricos está vacinada, mais de 90% dos africanos ainda esperam receber a primeira dose. Para o secretário-geral, “isto é uma obscenidade” e destacou que o mundo “passou no teste da ciência, mas está ganhando nota F em Ética”. 

A mudança climática também foi um dos pontos altos do discurso do secretário-geral. Aos países-membros da ONU, ele lembrou ser preciso cortar 45% das emissões de gases até 2030. 

António Guterres lamentou ainda que ao “invés de um caminho de solidariedade, o mundo caminha para um reta final de destruição”. Mas o chefe da ONU ainda tem esperanças e também afirmou que agora é a hora da verdade e o momento de se restaurar a confiança. 

As seis grandes divisões do mundo  

O secretário-geral vê “Seis Grandes Divisões” mundiais, ou os “Seis Grand Canyons”  (em alusão ao parque nacional americano), que precisam imediatamente de uma ponte. A primeira está ligada à paz, que chamou “um sonho distante” para muitas pessoas no mundo. 

Tweet URL

O chefe da ONU mencionou as crises no Afeganistão, na Etiópia, em Mianmar, no Iêmen, na Líbia e na Síria. Para combater a impunidade, Guterres pediu mais investimentos em prevenção de conflitos, combate ao terrorismo e construção da paz. 

António Guterres quer também fez um apelo para que haja pontes para acabar com as divisões climática, entre ricos e pobres, entre os gêneros e digital. Ele pediu que todas as pessoas do mundo tenham acesso à internet até 2030.  

Esperança para os jovens  

O secretário-geral da ONU encerrou o discurso solicitando uma ponte para fechar as divisões entre gerações, uma vez que “os jovens herdarão as consequências das decisões boas e ruins da geração atual. 

Guterres mencionou que muitos integrantes do grupo sofrem de ansiedade e depressão, mais de 60% se sentem traídos por seus governos e precisam de uma “visão de esperança para o futuro”.  

Ele anunciou a criação do Escritório para Juventude das Nações Unidas e informou que vai nomear um Enviado Especial para Gerações Futuras. 

Aos líderes mundiais, o chefe das Nações Unidas afirmou ser a hora da transformação, a era das possibilidades e a era para reacender o multilateralismo.