Guterres faz apelo aos líderes globais para acabar com “Seis Grandes Divisões”
BR

21 setembro 2021

Ao abrir os debates de alto nível da 76ª Assembleia Geral da ONU, secretário-geral António Guterres afirmou que desigualdade na distribuição de vacinas chega a ser obscena; chefe das Nações Unidas disse que mundo precisa despertar da beira do abismo.  

“Estou aqui para tocar o alarme. O mundo precisa acordar” – foi assim que o secretário-geral da ONU iniciou seu discurso na abertura da 76ª sessão de alto nível da Assembleia Geral, esta terça-feira, 21 de setembro, em Nova Iorque. 

No palanque do órgão, António Guterres enviou uma mensagem aos líderes globais, lamentando que o mundo “nunca esteve tão ameaçado nem tão dividido”.  

Situação “obscena” com vacinas da Covid 

Assembleia Geral da ONU, conhecida como UNGA, na sigla em inglês .
Foto: UN Photo/JC McIlwaine
Assembleia Geral da ONU, conhecida como UNGA, na sigla em inglês .

O chefe da ONU mencionou fotografias que mostram vacinas contra a Covid-19 no lixo, com prazo de validade vencido e criticou a desigualdade na distribuição dos imunizantes. 

Guterres lembrou que enquanto a maioria dos países ricos está vacinada, mais de 90% dos africanos ainda esperam receber a primeira dose. Para o secretário-geral, “isto é uma obscenidade” e destacou que o mundo “passou no teste da ciência, mas está ganhando nota F em Ética”. 

A mudança climática também foi um dos pontos altos do discurso do secretário-geral. Aos países-membros da ONU, ele lembrou ser preciso cortar 45% das emissões de gases até 2030. 

António Guterres lamentou ainda que ao “invés de um caminho de solidariedade, o mundo caminha para um reta final de destruição”. Mas o chefe da ONU ainda tem esperanças e também afirmou que agora é a hora da verdade e o momento de se restaurar a confiança. 

As seis grandes divisões do mundo  

O secretário-geral vê “Seis Grandes Divisões” mundiais, ou os “Seis Grand Canyons”  (em alusão ao parque nacional americano), que precisam imediatamente de uma ponte. A primeira está ligada à paz, que chamou “um sonho distante” para muitas pessoas no mundo. 

O chefe da ONU mencionou as crises no Afeganistão, na Etiópia, em Mianmar, no Iêmen, na Líbia e na Síria. Para combater a impunidade, Guterres pediu mais investimentos em prevenção de conflitos, combate ao terrorismo e construção da paz. 

António Guterres quer também fez um apelo para que haja pontes para acabar com as divisões climática, entre ricos e pobres, entre os gêneros e digital. Ele pediu que todas as pessoas do mundo tenham acesso à internet até 2030.  

Esperança para os jovens  

O secretário-geral da ONU encerrou o discurso solicitando uma ponte para fechar as divisões entre gerações, uma vez que “os jovens herdarão as consequências das decisões boas e ruins da geração atual. 

Guterres mencionou que muitos integrantes do grupo sofrem de ansiedade e depressão, mais de 60% se sentem traídos por seus governos e precisam de uma “visão de esperança para o futuro”.  

Ele anunciou a criação do Escritório para Juventude das Nações Unidas e informou que vai nomear um Enviado Especial para Gerações Futuras. 

Aos líderes mundiais, o chefe das Nações Unidas afirmou ser a hora da transformação, a era das possibilidades e a era para reacender o multilateralismo. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud