Chefe humanitário da ONU pede compromissos no Afeganistão
BR

12 setembro 2021

Na véspera de encontro de alto nível sobre o país, chefe humanitário da ONU, Martin Griffiths, acredita que os novos líderes talibãs entendem a importância da defesa dos direitos das mulheres e nas condições para que as agências humanitárias possam funcionar

Em entrevista na sede da ONU em Genebra, o chefe humanitário da Nações Unidas, Martin Griffiths, disse que espera receber garantias formais do vice-primeiro-ministro talibã de que as agências humanitárias poderão operar livremente no Afeganistão. 

 

Na véspera de encontro ministerial de alto nível sobre o Afeganistão, Griffiths reforça que será necessário mais de US$ 600 milhões para apoiar 11 milhões de pessoas até ao final deste ano.  
Muitas famílias afegãs foram deslocadas quando o Talibã avançou sobre Cabul
© Acnur/Yama Noori
Muitas famílias afegãs foram deslocadas quando o Talibã avançou sobre Cabul

 

Ajuda humanitária 

 

Ele acredita que esse valor ajudará a atender as necessidades mais críticas do povo afegão. As agências da ONU e ONGs parceiras afirmam que a população precisa urgentemente de comida, medicamentos, serviços de saúde, água potável, saneamento e segurança. 

Com mais da metade das crianças abaixo de 5 anos em risco de má nutrição e dois terços da população precisando de ajuda humanitária, Griffiths acredita que esse é o principal apelo no diálogo com o governo Talibã. 
 
Para Griffiths, o talibã entende o quanto precisa da comunidade internacional para receber ajuda humanitária. 
 
Martin Griffiths, subsecretário-geral da ONU, discute questões humanitárias com a liderança do Talibã
Foto: Ocha
Martin Griffiths, subsecretário-geral da ONU, discute questões humanitárias com a liderança do Talibã

Compromisso 

 

Griffiths entende que a necessidade de garantir a funcionalidade econômica do país pode levar o governo talibã a se comprometer com as Nações Unidas e aos apelos da comunidade internacional. 
 

Em visita ao Afeganistão para dialogar com o governo recém formado, o representante da ONU levou suas principais preocupações: a garantia de completo acesso de organizações humanitárias e os direitos das mulheres. 

 
O chefe da assistência humanitária afirmou que o Talibã prometeu respeitar os direitos das mulheres. Mas, há relatos de violência e privação de liberdade de mulheres e meninas em todo o país. 
 

Lembrando que o Afeganistão já enfrentava uma situação delicada há anos, Griffiths espera que a reunião na próxima segunda-feira traga avanços e compromissos sobre o futuro do país. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud