ONU quer “ação conjunta em harmonia” para ação climática nas Américas
BR

8 setembro 2021

Secretário-geral disse que conta com a região para enviar um forte sinal à COP-26; Guterres destaca adaptação como a metade da equação do clima ainda negligenciada; reunião virtual pede novo impulso antes de cúpula na Escócia.

O secretário-geral das Nações Unidas participa, esta quarta-feira, no Diálogo de Alto Nível das Américas sobre Ação Climática ao lado de chefes de Estado, e representantes de diferentes setores da América Latina e do Caribe.

A menos de 60 dias para a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, COP-26, António Guterres diz que é preciso “agir de forma conjunta, em harmonia, para superar o atual impasse.” A reunião virtual ocorreu na Argentina.

Apoio

Em primeiro lugar, ele pediu que se mantenha a meta de 1,5 grau mesmo que, no momento, o mundo esteja muito longe de alcançá-la.

Em segundo lugar, é preciso um avanço na adaptação e resiliência. O chefe das Nações Unidas quer que doadores e bancos multilaterais aloquem pelo menos 50% de seus apoios para o clima.

Secretário-geral dastacou  a liderança dos países da América Latina e do Caribe na ação climática
OMM/Shravan Regret Iyer
Secretário-geral dastacou a liderança dos países da América Latina e do Caribe na ação climática

 

O secretário-geral destacou que a adaptação continua a ser a metade da equação do clima negligenciada, contando com apenas 21% do apoio destinado ao financiamento a ações em favor do clima.

Por último, Guterres reiterou que as nações desenvolvidas devem cumprir a agenda de solidariedade. Nesse sentido, ele defende “o apoio aos países em desenvolvimento em vacinas, na dívida e na liquidez, bem como no clima e nas finanças.”

Glasgow

Para António Guterres, é preciso que haja um plano confiável para cumprir o compromisso de US$ 100 bilhões em apoio à ação climática, assumido há uma década.

Ele ressaltou que esta série de necessidades deve ser alcançada antes da Cúpula do Clima em Glasgow, para restaurar a confiança. O evento vai de 31 de outubro a 12 de novembro.

Líderes da região abordam tópicos como o aumento da ambição climática rumo a Glasgow
ADB/Zen Nuntawinyu
Líderes da região abordam tópicos como o aumento da ambição climática rumo a Glasgow

 

O secretário-geral concluiu, destacando a liderança dos países da América Latina e do Caribe na ação climática. Ele disse contar com a região para enviar um forte sinal à COP-26 “de que é possível alcançar um futuro resiliente neutro em carbono”.

Governos

Co-organizada pelos governos da Argentina, Barbados, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana e Panamá, a reunião de alto nível das Américas inclui intervenções dos setores privado e financeiro, bancário, academia e organizações da sociedade civil.

Painéis de discussão abordam tópicos como o aumento da ambição climática rumo a Glasgow, a aceleração da ação climática pela cooperação regional e o fortalecimento da adaptação e resiliência aos impactos da mudança climática.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud