FMI menciona medidas do Brasil em previsão de alta de 6% no PIB global   
BR

27 julho 2021

Nações desenvolvidas se distinguem por desempenho considerável diante da pandemia; autoridades brasileiras ajustam controle na quantidade de moeda em circulação; Panorama Econômico Mundial alerta sobre dificuldades em nações pobres “que podem causar agitação social e tensões geopolíticas”.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, manteve sua previsão de crescimento global de 6% para 2021 no Panorama Econômico Mundial atualizado.  

A economista-chefe do FMI, Gita Gopinath, disse que para 2022 a previsão é que o crescimento tenha uma alta de 4,9%. Ela falava a jornalistas esta terça-feira no lançamento do documento, em Washington.  

Mercados emergentes  

O PIB global do próximo ano aumentará meio ponto percentual, comparado à previsão feita em abril. Nesse desempenho, destaca-se a vantagem na melhora de países ricos, que será modesta em mercados emergentes e em desenvolvimento.  

O Panorama Econômico Mundial atribui as diferenças à evolução na forma como se lida com as infecções por Covid-19, com destaque para o avanço da variante Delta. Em economias ricas foram já vacinados 40% da população, nas emergentes a percentagem é de 11% e nas nações menos avançadas é uma “ínfima proporção”. 

FMI pede às nações ricas que cumpram rapidamente suas promessas de fornecer 1 bilhão de doses ao mundo em desenvolvimento
ONU Burquina Fasso
FMI pede às nações ricas que cumpram rapidamente suas promessas de fornecer 1 bilhão de doses ao mundo em desenvolvimento

 

No geral, as diferentes economias têm uma divergência em políticas que em grande parte está associada ao melhor acesso às vacinas contra o coronavírus e ao apoio fiscal contínuo nas economias avançadas.   

Gita Gopinath disse que muitas medidas das economias emergentes cessaram no ano passado, e se esperam novos anúncios associados aos impostos. 

Taxa  

A especialista destacou alguns mercados emergentes, como Brasil, Hungria, México, Rússia e Turquia. Esses países também começaram a aumentar suas taxas de política monetária para limitar as pressões com aumentos de preços. 

O risco para os países mais pobres é que entrem em maior recessão devido aos obstáculos na vacinação. Além disso, os governos destas nações não podem gerar gastos comparáveis aos de países ricos para impulsionar a recuperação econômica. 

Para o FMI, “mais precisa ser feito para fornecer vacinas para as nações mais pobres”. O argumento é que “a recuperação não está garantida até que a pandemia seja combatida globalmente.” 

Mercados emergentes e países em desenvolvimento devem crescer 6,3% em 2021
Diogo Moreira/Governo de Sao Paulo
Mercados emergentes e países em desenvolvimento devem crescer 6,3% em 2021

 

O pedido feito às nações ricas é que cumpram rapidamente suas promessas de fornecer 1 bilhão de doses para as nações em desenvolvimento. 

Variantes  

O surgimento de novas variantes coloca o risco de fazer cair a recuperação e de forma acumulada levar à perda de US$ 4,5 trilhões do PIB global até 2025. 

Em termos gerais, o FMI espera que neste ano, as economias avançadas cresçam 5,6%, um aumento em relação aos 5,1% previstos em abril. O desempenho seria impulsionado pela rápida recuperação de consumidores e empresas.  

Para os mercados emergentes e países em desenvolvimento ficaria em 6,3% em relação à previsão anterior, de 6,7%. 

A instituição recomenda políticas combinadas e bem dirigidas, ao ressaltar que estas “podem fazer a diferença entre um futuro em que todas as economias experimentarão recuperações duráveis ou que a divergência se intensifique”.  

Nesse cenário, os “pobres ficarão mais pobres e a agitação social e as tensões geopolíticas poderiam aumentar”. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud