Com escolas fechadas, crianças sofrem com violência e maior risco de gravidez
BR

27 julho 2021

Unicef defende reabertura de todas as escolas, mesmo que nem todos os professores estejam vacinados; agência da ONU lamenta que educação, segurança e amizades tenham sido substituídas por ansiedade entre alunos; no Uganda, taxa de gravidez entre adolescentes subiu mais de 20%. 

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, está pedindo a reabertura de todas as escolas que ainda estão fechadas devido à pandemia de Covid-19.  

Segundo a agência, não se pode esperar até que todos os professores e alunos estejam vacinados porque  “não há evidências claras de que as escolas primárias e secundárias estejam entre os principais focos de transmissão do coronavírus.” 

O Unicef faz um alerta: o acesso à educação, à segurança, a refeições e aos amigos foram “substituídos por ansiedade, violência e gravidez entre os jovens”. No Uganda, por exemplo, a taxa de gravidez na adolescência subiu mais de 20% no último ano.  

No auge do encerramento das escolas, em abril do ano passado, mais de 1,6 bilhão de estudantes e 100 milhões de professores foram afetados
© Unicef/Malumbo Simwaka
No auge do encerramento das escolas, em abril do ano passado, mais de 1,6 bilhão de estudantes e 100 milhões de professores foram afetados

Milhões Afetados  

Mais de 600 milhões de crianças continuam sendo afetadas pelo encerramento das escolas. Em metade dos países da Ásia e Pacífico, os centros de ensino já estão fechados há mais de 200 dias.   

O Unicef destaca também que 18 países e territórios da América Latina e Caribe continuam com as escolas fechadas de forma total ou parcial. O porta-voz da agência, James Elder, afirma que 40% dos estudantes do leste e sul da África continuam sem poder frequentar as aulas.  

Mais de 100 milhões de crianças cairão abaixo do nível mínimo de proficiência em leitura devido ao impacto do fechamento de escolas
UNICEF
Mais de 100 milhões de crianças cairão abaixo do nível mínimo de proficiência em leitura devido ao impacto do fechamento de escolas

Sem Internet  

Elder explica que o ensino virtual está fora do alcance de um terço das crianças do mundo em idade escolar. Na Ásia e Pacífico, por exemplo, são 80 milhões de alunos nesta situação. Já em alguns países africanos, a escola virtual não é possível porque menos de 0,5% das famílias tem internet em casa.  

O porta-voz do Unicef afirma que na África do Sul, até meio milhão de estudantes abandonaram as escolas nos últimos 16 meses. Elder lembra não haver melhor investimento do que a educação. O Banco Mundial calcula perdas de US$ 10 trilhões ao longo dos anos para esta geração de alunos.  

Além de defender a reabertura das escolas, o Unicef pede aos governos para protegerem o orçamento do setor da Educação, garantirem que mais crianças estejam matriculadas, aumentarem o financiamento às famílias mais vulneráveis e ampliarem o acesso à vacinação contra a Covid-19.  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud